Domingo, 07 de Agosto de 2022
25°

Poucas nuvens

Parauapebas - PA

Dólar
R$ 5,17
Euro
R$ 5,26
Peso Arg.
R$ 0,04
Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados

Comissão aprova proposta que amplia prazo para pedir indenização por animal doente abatido

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados Domingos Sávio: 180 dias é um prazo exíguo para pleitear indenização A Comissão de Agricultura, Pecuária, Ab...

06/07/2022 às 23h05
Por: Redação Fonte: Agência Câmara de Notícias
Compartilhe:
Domingos Sávio: 180 dias é um prazo exíguo para pleitear indenização - (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)
Domingos Sávio: 180 dias é um prazo exíguo para pleitear indenização - (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que amplia de 180 dias para um ano o prazo para o proprietário de animal sacrificado por razões sanitárias reivindicar indenização do governo. O texto altera a Lei 569/48, que trata da defesa sanitária animal.

O texto aprovado foi o substitutivo apresentado pelo relator, deputado Domingos Sávio (PL-MG), ao Projeto de Lei 5633/19, do deputado Marreca Filho (Patriota-MA). “O prazo de 180 dias para pleitear indenização é muito exíguo, constituindo-se no menor dessa espécie no Direito brasileiro”, observou o relator no parecer.

A versão original alterava a lei para determinar que a indenização referente ao sacrifício de animais doentes pelo serviço de zoonoses deveria ser igual ao valor integral dos abatidos. Atualmente, essa indenização varia conforme a doença: 25% do valor do animal em caso de tuberculose e 50% para todas as demais.

O abate sanitário animal tem como objetivo proteger a saúde pública e manter a sanidade dos rebanhos, ao evitar a proliferação de zoonoses. A lei prevê que a indenização total só é paga se a necropsia não confirmar o diagnóstico clínico.

“A garantia de indenização integral poderia produzir efeito oposto ao pretendido, ou seja, o de induzir ao relaxamento dos cuidados sanitários, dificultando o controle e a prevenção de zoonoses, o que aumenta consideravelmente o risco sanitário”, afirmou Domingos Sávio ao discordar da sugestão de Marreca Filho.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários