Segunda, 04 de Julho de 2022
25°

Poucas nuvens

Parauapebas - PA

Dólar
R$ 5,33
Euro
R$ 5,56
Peso Arg.
R$ 0,04
Anúncio
REGIONAL NOVO REPARTIMENTO

Mãe confessa que ajudou marido estuprar e matar filha de 1 mês

Caso aconteceu neste domingo (10) no sudoeste do Pará

12/04/2022 às 07h21
Por: Redação Fonte: Portal Debate e Portal da Cidade Tucuruí, O Liberal
Compartilhe:
 Reprodução/ Delegado Robson Mendes recebeu na manhã de hoje relatório preliminar que apontou a violência sexual
Reprodução/ Delegado Robson Mendes recebeu na manhã de hoje relatório preliminar que apontou a violência sexual

A mulher, identificada como Gildete Santos Silva, mãe da bebê Maria Alice Rodrigues Santos, 1 mês, foi presa, na tarde de segunda-feira (11), em Novo Repartimento, acusada de participação no estupro e morte da própria filha.

De acordo com a Polícia Civil, depois do resultado preliminar do Instituto Médico Legal (IML) de Tucuruí e várias contradições no depoimento do casal, a mulher resolveu contar a verdade sobre o estupro da bebê, ocorrido na manhã de domingo (10), no Bairro Aparecida.

Os pais da vítima alegaram que acordaram, por volta de 13h, e encontraram a criança já morta. Um vídeo publicado, nas redes sociais, mostra uma casa de madeira e um quarto com uma cama, onde está o corpo da pequena vítima. O pai, Domingos Rodrigues da Silva, da pequena Maria Alice foi ouvido e preso pela Polícia Civil.

Segundo o indivíduo, o casal chegou de uma festa de aniversário por volta de 6h. Logo em seguida, foram dormir com a bebê na mesma cama. Durante o sono, a criança teria sofrido sufocamento pelo corpo de um dos dois adultos. No entanto, a mentira não convenceu o Delegado Robson Mendes e a dupla foi presa.

A mãe desnaturada revelou que os abusos eram recorrentes e ocorreriam durante o ato sexual do casal. O marido costumava violentar sexualmente a criança, penetrando o dedo no ânus da bebê. Existe a suspeita de que a morte da menina foi provocado pelo estupro com o pênis do próprio pai.

Reprodução

Sobre o caso que veiculam nas redes socias

Bebê foi encontrada morta em cama  – A criança tinha apenas 40 dias de vida. Exames médicos confirmaram que o bebê foi abusado sexualmente. O caso ocorreu em Novo Repartimento, no Sudoeste paraense.

Um homem foi preso acusado de estuprar e matar a filha de apenas um mês de vida no município de Novo Repartimento, no sudoeste do Pará. Segundo informou a polícia, o crime de estupro de vulnerável foi descoberto no último domingo (10), mas a prisão do principal acusado, Domingos Rodrigues da Silva, só ocorreu nesta segunda-feira (11).

Domingos Rodrigues da Silva, foi preso em flagrante na manhã desta segunda-feira (11) acusado de estuprar e matar a filha de apenas 40 dias de vida, no sudeste do Pará.

A pequena Maria Alice Rodrigues Santos foi encontrada sem vida, no início da tarde de domingo (10), em cima da cama dos pais, o casal Domingos Rodrigues da Silva e Gildete Santos Silva, em Novo Repartimento, no Sudoeste paraense.

Reprodução

A investigação sobre o caso é conduzida pelo delegado Robson Mendes, titular da Delegacia da cidade, que recebeu na manhã desta segunda-feira (11) relatório preliminar do Instituto Médico Legal de Tucuruí (IML), para onde o corpo da bebê foi levado, e aponta como causa da morte sufocamento provocado pela obstrução da boca e nariz da menina de 40 dias de vida.

Procurada, a Polícia Civil informou que o caso é investigado em sigilo pela Delegacia de Novo Repartimento, e confirmou que “duas pessoas foram presas, uma pelo crime de homicídio e a outra pelo crime de estupro de vulnerável”, diz a nota da PC, sem distinguir a imputação dos dois crimes, nem identificar as pessoas presas.

Pelo Código Penal, o crime de homicídio impróprio, imputado incialmente ao casal, diz respeito àquele em que uma omissão inicial do agente dá causa a um resultado posterior, o qual o agente tinha o dever jurídico de evitá-lo.

Sobre o crime. 

Por volta das 14h do último domingo, policiais militares acionaram a PC para atender a ocorrência. Ao chegarem à residência na rua Caldas Novas, quadra 63, lote 03, no bairro Aparecida, os agentes encontraram a criança já sem vida. As equipes da PC e PM informaram que a criança foi achada deitada em posição decúbito dorsal, em uma cama de casal. 

De imediato, o pai da criança, Domingos Rodrigues, foi ouvido. Ele informou que passou a noite em um aniversário, na companhia da esposa, Gildete Santos Silva e relatou que o casal teria voltado para a casa somente na manhã de domingo (10).

Domingos afirmou, ainda, que ele, a esposa e a filha do casal, dormiram na mesma cama, sendo que, por volta das 13h30, quando ele acordou, percebeu que a criança estava roxa e sem vida. Ele mesmo afirmou que acreditava que ele ou a esposa tinham adormecido sobre a bebê, em algum momento.

Diante da presença da negligência dos genitores, que possivelmente dormiram embriagados na mesma cama com a criança de um mês, Domingos foi conduzido à Delegacia para depoimento. Gildete acompanhou o corpo da criança até o Instituto Médico Legal (IML), para necropsia. Em seguida, ela foi intimada para prestar depoimento.

Contradições nas versões do pai e da mãe

Durante as apurações preliminares, a equipe percebeu que haviam contradições nas versões tanto do pai quanto da mãe. A polícia, então, entrou em contato com o IML de Tucuruí e, ao falar com a perícia, soube que a necropsia constatou a violência sexual da criança. O relatório provisório de necropsia apontou lesão no ânus e fissuras na região anal, entre outras lesões.

A perícia também informou que a morte da bebê foi por sufocamento, provocado pela obstrução da boca e nariz. O relatório também indicou que a violência sexual pode ter contribuído para evolução da morte.

A Polícia Civil, em Novo Repartimento, cumpriu os procedimentos cabíveis e o caso está à disposição da Justiça.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários