Quarta, 01 de Fevereiro de 2023
21°C 25°C
Parauapebas, PA
Publicidade

Incêndios estruturais quadruplicam em três anos

Incidentes crescem desde 2018, com recorde em 2021, segundo acompanhamento feito pelo Instituto Sprinkler Brasil realizado há 10 anos; especialista...

13/10/2022 às 14h35
Por: Redação Fonte: Agência Dino
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os registros de incêndio estruturais ocorridos no Brasil subiram de 531, em 2018, para 2.301, em 2021, segundo dados do Instituto Sprinkler Brasil (ISB), organização que acompanha os números de sinistros desses casos em organizações desde 2012. Os incêndios tidos como estruturais são assim chamados porque poderiam ter sido evitados com investimentos em preparação de pessoal, manutenções regulares e sistemas de contenção de fogo. 

Segundo apuração do ISB, a indústria teve 1.600 ocorrências registradas em 2021, sendo um setor que contém diversos fatores perigosos para este tipo de ocorrência. Para ajudar na redução do sinistro de incêndio em indústrias, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) promoveu, em abril deste ano, um webinar com o tema “Incêndios e explosões na indústria: lições aprendidas e medidas preventivas”. 

João Ricardo, Engenheiro de Projetos, da empresa SECUR, explica que “a maioria [dos incêndios] acontece em casos de manutenção e inspeção”, pontuando que eles também ocorrem “por causa do uso de equipamentos inadequados em locais inadequados e problemas nas instalações elétricas”.

Como prevenir incêndios estruturais na indústria 

O ambiente industrial reúne múltiplos fatores que podem provocar ou alastrar o fogo. O mais importante para conter os riscos é conscientizar os profissionais do local, além de ter brigada de incêndio treinada, plano de emergência, equipamentos funcionando e com manutenção em dia. Para isso, Ricardo aponta que “deve haver manutenção e testes periódicos e dimensionados adequadamente”. 

Fazer uso de equipamentos de contenção de fogo também é importante. Os sistemas mais comuns são os de hidrantes, mas também são utilizados sprinklers, bacias de contenção e controle de fumaça, extintores, e em alguns locais, combate por gás. 

Para além dos materiais, contudo, é preciso implementar um bom sistema de combate ao fogo. Ricardo orienta observar alguns pontos, como “documentação legal em dia, ter a brigada de incêndio treinada, plano de emergência e o plano de manutenção muito bem feito e seguido à risca”.

E, em especial, ter o programa de manutenção para instalações comuns, do sistema elétrico e dos equipamentos mecânicos, para que possa haver a certeza de que, na hora de utilizar os equipamentos de combate e prevenção a incêndio, eles estejam funcionando adequadamente. 

Para saber mais, basta acessar: https://casadasvalvulasmg.com.br/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Parauapebas, PA
21°
Chuva

Mín. 21° Máx. 25°

22° Sensação
1.54km/h Vento
100% Umidade
100% (17.83mm) Chance de chuva
06h22 Nascer do sol
06h44 Pôr do sol
Qui 29° 20°
Sex 27° 21°
Sáb 29° 20°
Dom 28° 21°
Seg 30° 21°
Atualizado às 08h24
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,07 -0,03%
Euro
R$ 5,51 -0,07%
Peso Argentino
R$ 0,03 +0,15%
Bitcoin
R$ 124,184,65 +0,30%
Ibovespa
113,430,54 pts 1.03%
Publicidade
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Publicidade
Anúncio