Quarta, 05 de Outubro de 2022
25°

Poucas nuvens

Parauapebas - PA

Dólar
R$ 5,18
Euro
R$ 5,17
Peso Arg.
R$ 0,03
POLÍCIA INVESTIGAÇÃO

PF acusa Abin de atrapalhar apuração contra Renan Bolsonaro

Ainda em março de 2021, Luiz Felipe Barros Felix, integrante da Abin, teria sido flagrado em uma operação cujo objetivo seria prevenir “riscos à imagem” do presidente da República.

30/08/2022 às 16h57
Por: Redação Fonte: DOL
Compartilhe:
| Internet
| Internet

Os escândalos envolvendo o atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, são muitos. Alguns deles têm os seus filhos como protagonistas, como é o caso da investigação contra o filho "04" de Bolsonaro.

De acordo com a Polícia Federal (PF), a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teria atrapalhado uma investigação contra o influenciador digital Jair Renan Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ainda em março de 2021,  Luiz Felipe Barros Felix, integrante da Abin, teria sido flagrado em uma operação cujo objetivo seria prevenir “riscos à imagem” do presidente da República.

Luiz Felipe teria recebido a missão de levantar informações sobre o paradeiro de um carro elétrico avaliado em R$ 90 mil que teria sido doado a Jair Renan e ao personal trainer Allan Lucena por um empresário do Espírito Santo.

O personal chegou a procurar a polícia para denunciar que estava sendo seguido. Segundo ele, um carro preto o acompanhava ininterruptamente há, pelo menos, três dias.

Morador do Sudoeste, Allan ficou desconfiado ao ver o veículo entrar no estacionamento do seu prédio. O empresário, então, esperou o carro entrar, fechou o portão e ligou para a Polícia Militar.

“A referida diligência, por lógica, atrapalhou as investigações em andamento posto que mudou o estado de ânimo do investigado, bem como estranhamente, após a ampla divulgação na mídia, foi noticiado, também, que o sr. Allan Lucena teria ‘devolvido’ veículo supostamente entregue para o sr. Renan Bolsonaro”, assegurou a Polícia Federal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários