Sábado, 28 de Janeiro de 2023
21°C 29°C
Parauapebas, PA
Publicidade

"Circulando Histórias" transforma experiência de internação de pacientes no Hospital Galileu, na Grande Belém

Estresse causado pelo período de hospitalização e o afastamento do paciente da rotina pode ser atenuado com contação de histórias coordenada pelo Grupo de Trabalho de Humanização (GTH)

24/01/2023 às 09h55
Por: Redação Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

Não é de hoje que crianças e adultos são levados para outros ambientes em todo tipo de aventura através de contação de histórias. E foi pensando em uma forma de amenizar o desconforto e as adversidades de uma internação hospitalar prolongada que o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), localizado na Grande Belém, promove, periodicamente, as ações do "Circulando Histórias".

A iniciativa do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do Galileu tem como objetivo estimular as boas condutas através da leitura e apostar na prática como uma forma de atenuar o estresse causado pelo período de hospitalização e o afastamento do paciente e do acompanhante de sua rotina e do convívio familiar.

Terapia -Mesmo aposentado, Benedito Soares, de 57 anos, não para. Ele sempre arruma uma maneira de ficar ativo. “Eu mexo na tubulação, na parte elétrica, faço um trabalho ou outro. Gosto mesmo de me sentir útil e vivo, por isso, sempre priorizo as atividades de casa”, contou. E foi com a rotina agitada que Benedito foi parar no hospital. “Realmente, sou inquieto. Acabei machucando a minha perna ao transportar uma geladeira. Bateu e tive de passar por cirurgia”, lembrou.    

Internado há mais de uma semana na unidade, ficar numa cama durante o tratamento de saúde tem sido um desafio e tanto para o aposentado. Mas, é na hora da contação de história que ele suaviza a inquietação. Com os ouvidos atentos, Benedito vive, naquele momento, em um mundo paralelo. “Eu posso afirmar que é mágico. Sim, a gente aprende e vive aventuras e emoções de outras pessoas, de outros personagens. Essa ação é muito boa. Sem igual”, parabenizou.

Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação
Quem também fica esperto ao ver as profissionais de saúde com um livro nas mãos é o operador de máquinas Jucicleu Castro, de 44 anos, que em uma partida de futebol no município de Benevides, na Região Metropolitana de Belém, machucou o tornozelo e precisou passar por tratamento cirúrgico na capital. “Eu amo ouvir histórias. Isso é um passatempo muito bom, leve e animado. Mas, apesar de ter vários livros, eu prefiro ouvir histórias bíblicas, que falam sobre os homens de fé a da palavra de Deus”, comentou.   

Iniciativa -As ações são realizadas constantemente. Até duas vezes ao dia, com diversos tipos de literatura. “Além de lermos alguns livros que os pacientes pedem, o hospital também distribui algumas leituras. Essa é uma forma de baixo custo e de um alto valor de conhecimento e promoção de bem-estar aos nossos pacientes e aos seus acompanhantes. Escolhemos duas a três histórias, e perguntamos a eles o que querem ouvir”, detalhou Anny Segovia, coordenadora de Humanização, no HPEG.

A ação "Circulando História" envolve diversos setores da unidade. Profissionais da assistência e até mesmo do administrativo que sempre revezam de 10 a 20 minutos dos seus afazeres para contar as histórias nas enfermarias. A assistente social Susane Pires, supervisora do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), também  desenvolve a iniciativa. Para ela é uma satisfação ver o paciente bem e sorrindo. 

“As pessoas que estão hospitalizadas ficam com um tempo ocioso, estão mais frágeis devido à distância de sua casa, de sua família, do seu trabalho e de sua rotina.  Para elas, qualquer ação humanizada devolve seu bem-estar, a autoestima e estimula a recuperação. A leitura de história pode até parecer algo simples, sem tanta importância, mas na verdade, é um escape para quem está internado há semanas, meses até”, comentou a profissional.   

Ações -O Galileu é uma unidade referência na Rede Estadual de Saúde do Pará em projetos de humanização. Para a diretora Executiva da unidade, Liliam Gomes, o objetivo é prestar uma assistência de qualidade e humanizada.

Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação
“O profissional de saúde deve ser um agente motivador para reforçar o cuidado com a saúde emocional do paciente. Em período de hospitalização, a pessoa fica mais suscetível a sentimentos frequentes de tristeza, de depressão, de ansiedade e de nervosismo. Dessa forma, o ‘estar hospitalizado’ é, por si só, um fator estressante. Projetos que estimulem as emoções, mudam o conceito de sofrimento, de dor e do foco da hospitalização, além disso, nos empenhamos em transformar a experiência da intenção em algo diferente, ou seja, promovendo momentos de reflexão sobre o nosso bem maior que é a vida e a importância do autocuidado”, destacou a gestora. 

Perfil -O Hospital Galileu é uma unidade pública, do Governo do Estado, gerenciado pelo Instituto Social e Ambiental da Amazônia  (ISSAA), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Localizado na avenida Mário Covas, a unidade é referência na rede de saúde, em atendimentos de traumatologia e alongamento ósseo.

Texto:Roberta Paraense/Ascom Hospital Galileu

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Parauapebas, PA
22°
Tempo nublado

Mín. 21° Máx. 29°

23° Sensação
0.56km/h Vento
98% Umidade
100% (5.55mm) Chance de chuva
06h20 Nascer do sol
06h43 Pôr do sol
Dom 29° 21°
Seg 29° 21°
Ter 28° 21°
Qua 28° 21°
Qui 24° 21°
Atualizado às 00h48
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,11 -0,06%
Euro
R$ 5,55 -0,04%
Peso Argentino
R$ 0,03 +0,12%
Bitcoin
R$ 124,879,72 -0,45%
Ibovespa
112,316,16 pts -1.63%
Publicidade
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Publicidade
Anúncio