Em Parauapebas chefe de gabinete da prefeitura é afastado

Em Parauapebas chefe de gabinete é acusado de improbidade administrativa

O Ministério Público Estadual pediu o afastamento do chefe do Gabinete da Prefeitura de Parauapebas, Edson Bonneti suspeito de improbidade administrativa. De acordo com as investigações da 4 promotoria apontadas nos autos, o chefe de gabinete teria violado princípios administrativos, decorrente de uma licitação fraudulenta que teria beneficiado a empresa W. Alves da Costa EIRELI-EPP.

A denúncia do MP aponta que a licitação se deu após Edson Bonetti determinar em Janeiro de 2017 que a Coordenadoria do Departamento de Licitação aderisse á ata de registro de preço, decorrente do pregão realizado no Município de Ipixuna para a contratação de serviços de locação, instalação, manutenção e desinstalação de som, palco com camarim, iluminação cênica, painéis de LED, grupo gerador, tendas e banheiros químicos para serem utilizados em eventos do Gabinete da Prefeitura.

O valor orçamentário da contratação do serviço foi avaliado R$ 3.000.780,00 (três milhões setecentos e oitenta reais). A licitação foi vencida pela W. Alves da Costa EIRELI-EPP, valor considerado pelo MP como superior às ofertadas pelas demais empresas participantes da licitação, que alegaram não possuir fins lucrativos e nem equipamentos que atendessem o regido no contrato. O que o autor MP acredita que houve uma simulação para beneficiar a empresa vencedora do contrato.

Além do chefe de gabinete da prefeitura Edson Bonetti, os servidores públicos Cristiano Cesar de SouzaChefe da Controladoria Geral do Município e João Álvaro Dias -Agente da Controladoria. Além do empresário Weberton Alves da Costa, a empresa W. Alves da Costa Eireli – EPP.

Mediante as constatações do MP, João Álvaro Dias, agente do Controle Interno do Município de Parauapebas e Cristiano César Souza, Controlador Geral do Município, chegaram a assinar um parecer questionando a continuidade do procedimento ante a sua regularidade. Mas, ainda assim o contrato administrativo foi assinado por Edson Bonetti, como representante do Município e Weberton Alves da Costa, proprietário da sociedade empresária vencedora.

No processo o Ministério Público ajuizou Ação de Improbidade Administrativa, bem como a pena dos réus que terão que responder pelo crime de improbidade, além do ressarcimento dos danos ao erário.

ULTIMAS NOTÍCIAS

Tarado de 68 anos é preso acusado de estuprar criança de 8 anos no Marajó

Um idoso de 68 anos que não teve a identidade revelada foi preso pela Polícia Militar acusado de estupro de vulnerável na tarde da última

Município do Pará proíbe entrada de pescado vindo do Amazonas

A Vigilância Sanitária do município de Altamira publicou uma Nota Técnica que proíbe a importação ou comercialização de qualquer tipo de pescado, seja ele de

Polícia caça suspeitos de envolvimento na chacina de Parauapebas

Parauapebas presenciou, na última quarta-feira (15), uma cena de terror: cinco corpos foram encontrados Às proximidades do bairro Vila Nova, em Parauapebas. A indicação é

Prefeitura realiza entrega de tablets para os agentes de combate as endemias

Os Agentes de Combate às Endemias (ACE), de Parauapebas são os primeiros do Estado do Pará, a contar com um tablet que possui um sistema

Mutirão de vacinação em Marabá volta a acontecer nesta quinta e sexta

A movimentação pela procura da segunda dose da vacina contra a Covid-19 começou cedo na manhã desta quinta-feira (16) em Marabá no sudeste paraense. Após

CPI da Vale: funcionários da área ambiental se abstém de responder sobre responsabilidades

O Gerente Executivo do Departamento de Meio Ambiente Corporativo da mineradora Vale, Bruno Santos Ferraz e o Especialista Técnico em Licenciamento Ambiental, Luciano Madeira, foram