Secretaria de Saúde de Parauapebas dá início à Campanha de Combate à Tuberculose

Secretaria de Saúde de Parauapebas  deu início, a Campanha Municipal de Controle e Combate à Tuberculose. A ação contou com buscas-ativas pelos bairros da cidade, visando identificar pacientes com sintomas da doença.

Juntamente com as Unidades Básicas de Saúde, Agentes Comunitários e enfermeiros do município, a Coordenação de Combate e Controle de Tuberculose vem orientando a população sobre os cuidados a serem tomados e levando ao conhecimento dos usuários as principais características da doença.

Segundo Jheyvison Wallinter, coordenador do programa de tuberculose, as ações consistem principalmente em educação sobre a doença, enfatizando grupos mais suscetíveis. “Nós visitamos entidades que acolhem pessoas idosas, dependentes químicos, moradores de rua, além de detentos sob a tutela do sistema prisional, pois são pessoas que podem ter o sistema imunológico um pouco mais fragilizado”, disse o coordenador.

A prova disso é que o Ministério da Saúde recomenda a testagem para HIV para todos os pacientes com tuberculose, devido à baixa imunidade. Para se ter uma ideia, segundo boletim epidemiológico elaborado pela Secretaria de Saúde (Semsa), em 2017 foram diagnosticados 48 novos casos de tuberculose em Parauapebas, sendo que 44 realizaram teste rápido e cinco apresentaram resultado positivo para o vírus HIV.

Ainda segundo o levantamento, os registros da doença diminuíram nos últimos cinco anos em razão do avanço social conferido pela população do município com projetos habitacionais, redução do fluxo migratório e urbanização planejada. A redução considera o comparativo entre o ano de 2013 quando foram 55 novos casos contabilizados e o ano de 2017, com 48.

Os homens continuam sendo as maiores vítimas da tuberculose em Parauapebas, mas a incidência tem caído nos últimos anos, conforme o relatório da Semsa. Em 2015, 86,71% das pessoas com a doença eram do sexo masculino. Em 2017, reduziu para 54%. A faixa etária predominante é de 20 a 29 anos de idade.

 

“Os resultados dos exames realizados durante a campanha devem estar prontos na próxima segunda-feira, 26, quando, se for detectado diagnóstico positivo, o paciente receberá acompanhamento médico pela Rede de Atenção Básica, assim como todos os casos registrados em 2017, sendo que alguns pacientes já receberam atestado de cura”.

Apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda considerar a tuberculose como a doença infecciosa de maior mortalidade no mundo – supera o HIV e malária, juntos – as chances de cura chegam a 100% quando o tratamento é realizado corretamente. O programa de controle da tuberculose é promovido em todas as unidades de saúde do município, Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e Policlínica.

ULTIMAS NOTÍCIAS