29 de julho de 2021

Produção de cacau continua em crescimento no Pará

O Pará é o maior produtor de cacau do Brasil. Pouco mais da metade cultivada em todo o país, é oriunda de solo paraense (51,54% produção resultante em 2020). As projeções para o ano em curso, mostram que esse desempenho só tende a melhorar. A estimativa é do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE (LSPA), elaborado pelo Núcleo de Planejamento e Estatísticas da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) – com base nos dados fechados até maio deste ano.

A LSPA é uma pesquisa de previsão e acompanhamento mensal das safras, com estimativas de produção, rendimento médio e áreas plantadas e colhidas, desde a fase de intenção de plantio até o final da colheita de cada cultura investigada, conforme explicou o estatístico da Sedap, João Ulisses Silva.

Pelas estimativas do estudo, segundo detalhou Silva, o Pará aumentará para 53,60% de toda produção nacional do fruto, com um volume de 144.216 toneladas previstas. A estimativa de produção, por unidade de hectares, de acordo com o levantamento, é de 963,54 kg/ha. Na região Norte, essa projeção é maior ainda. Pelo menos 96% de toda a produção da região, é paraense.

Fotos: San Diego


A ascensão do cacau paraense, é resultado do empenho dos produtores locais e das ações maciças que estão sendo postas em práticas pelo governo do estado. Fomento, manejo, assistência técnica continuada, através da Ateg Mais Cacau, lançado no início do mês em Altamira, parceria com instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Sebrae, além do envolvimento dos órgãos como a Emater e a Adepará e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), são algumas das iniciativas, segundo observou o titular da Sedap, Alfredo Verdelho, que estão surtindo efeitos positivos no embalo da produção paraense do cacau.

A Sedap é o órgão coordenador do Fundo de Apoio à Cacauicultura do Estado do Pará (Funcacau), segundo explicou Verdelho, composto por mais sete instituições, totalizando 16 membros entre titulares e suplentes. Além da Sedap, a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefa), a Emater, a Ceplac e a Federação da Agricultura do Pará (Faepa), entre outras, integram o conjunto de instituições parceiras. A Sedap, mantém, ainda, o Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Cacau (Procacau), que apoia diversos projetos e iniciativas que visam estimular a produção no estado.

Destaques – Além do cacau, as principais culturas do estado do Pará, com relevância nacional, contempladas pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, são o arroz, a banana, a castanha-de-caju, a laranja, a mandioca, o milho, a soja e o sorgo. O destaque fica principalmente para a mandioca que, de acordo com as projeções, continuará a se manter no topo da produção paraense com 21,06% da
produção brasileira e 59,89% da produção na região Norte.

Comentários do Facebook