12 de junho de 2021

Parauapebas: Vereador Elias Ferreira pede construção de centro de convivência e concessão de vale-gás para famílias carentes


O vereador Elias Ferreira (PSB) apresentou duas indicações na sessão da última terça-feira (25), sugerindo à prefeitura que viabilize a construção de uma unidade do Centro de Convivência e Lazer para Idosos em Palmares Sul (Indicação nº 340/2021); e disponibilize vale-gás no valor de 110 reais para famílias em situação vulnerabilidade (Indicação nº 341/2021).


Centro de convivência




Justificando a necessidade de construção de uma unidade do Centro de Convivência e Lazer para Idosos em Palmares Sul, o parlamentar explica que Parauapebas é uma cidade que possui um percentual alto em idosos. Em razão disso, faz-se necessário pensar em um espaço que seja dedicado à terceira idade, onde contará com local estruturado de forma adequada e com profissionais preparados para atendê-los.


Além do mais, o Estatuto do Idoso, no artigo 3º da Lei nº 10.741/2013, estabelece que é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do poder público a efetivação dos direitos dos idosos.
“Diante de tal realidade, nada mais justo que a construção de um Centro de Convivência e Lazer para Idosos no Bairro Palmares Sul, com intenção de promover ao público da terceira idade qualidade de vida e independência, promovendo um processo de envelhecimento saudável”, destaca Elias Ferreira.


O vereador sugere ainda que o espaço seja dotado de piscina para prática de aulas de hidroginásticas e natação; estúdio de pilates, aulas de danças e jogos de tabuleiros, dentre outras atividades, garantindo qualidade de vida, promovendo mais alegria e satisfação e proporcionando uma vida digna, com um espaço acolhedor e humanizado.
Vale-gás


Neste pedido, o vereador esclarece que muitas famílias de baixa renda passam privação em Parauapebas, por causa da situação de pobreza ou extrema indigência. Por isso, ele pede que o governo municipal conceda vale-gás (gás de cozinha), no valor de R$ 110,00, enquanto perdurar os efeitos da pandemia.


“O acréscimo exagerado dos valores do gás de cozinha levou diversas famílias a buscarem outras fontes de energia, como lenha e restos de madeira, que, além de poluentes, degradam ainda mais a natureza”, assinala Elias Ferreira, acrescentando que o preço do botijão de gás de cozinha de 13 kg custa hoje, em média, R$ 110,00.
Considerando a importância dos pedidos, os demais vereadores aprovaram as duas indicações, que serão enviadas para serem apreciadas pelo governo municipal.


Texto: Waldyr Silva / Fotos: Felipe Borges / AscomLeg2021

Comentários do Facebook