25 de junho de 2021

Em Parauapebas servidores da educação entram em ESTADO DE GREVE

Decidido em Assembleia Geral, ocorrida na segunda-feira, 17, os educadores do município de Parauapebas, estão em ESTADO DE GREVE com paralisação hoje, 20, e amanhã, 21. De acordo com a coordenação do SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará, a decisão se deu por conta da morosidade do governo municipal em garantir as condições de trabalho para o ensino não presencial e remoto da rede pública municipal, além do acúmulo de atividades em que os educadores estão submetidos.

O SINTEPP Parauapebas denuncia que o governo Darci está sendo negligente com essa modalidade de ensino, por isso, é urgente a reabertura da mesa de negociação com o Prefeito, caso contrário, o sindicato entrará com ação civil pública na justiça.

Além do Estado de Greve, na Assembleia foram deliberados outros pontos de interesse da categoria, tais como: a reforma geral ou a compra de um lote melhor localizado para a construção de uma nova Subsede. Sobre esse ponto, 57,9% dos filiados autorizaram a atual Coordenação adquirir um lote melhor localizado e construir a nova Subsede a médio prazo e dentro das possibilidades orçamentárias do Sintepp Parauapebas.

Foi aprovada ainda por 86,9% da categoria presente na Assembleia, uma nota de apoio em defesa da autonomia da Subsede Parauapebas e de sua atual coordenação eleita pela maioria dos filiados, que vem sendo reiteradamente atacada e exposta injustamente por um grupo opositor que joga contra o Sindicato.

Sobre a revisão do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos educadores (PCCR), após serem apresentados e discutidos os pontos relevantes da minuta, 62,6% dos participantes, optaram pelo seu encaminhamento ainda este ano, para a Câmara Municipal de Parauapebas.

Ainda sobre o ensino não presencial e remoto, foi aprovado por 65,4% da categoria, a proposição da Coordenação do Sintepp Parauapebas, que deve cobrar do governo um vale tecnológico em forma de bônus no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) para os educadores cobrirem os gastos com esta modalidade de ensino durante a pandemia, como também a viabilidade de tabletes para os estudantes da rede municipal com direito a chip com acesso à internet.


De acordo com o coordenador do Sintepp Parauapebas, Raimundo Moura, foi solicitada uma mesa de negociação urgente com o Prefeito Darci, para debater essa pauta da categoria, pois a categoria entende ser inadmissível que o recurso do FUNDEB destinado a manutenção do ensino, não esteja sendo investido para atender às necessidades dessa modalidade. “A prefeitura não está gastando com a compra de cadernos, lápis, canetas, transporte escolar e uniforme. As 73 escolas estão sem receber alunos há mais de ano, o que gerou uma economia considerável nas contas da SEMED. Então não há motivos para tanta demora e enquanto isso o professor ser o único a arcar com o ensino que é público e direito de todos”, explica Raimundo Moura, e diz que, seguindo orientação de sua Assessoria Jurídica, orienta os educadores que fizeram gastos para garantir o ensino não presencial e remoto, que organizem as notas fiscais dessas despesas para o nosso Jurídico requerer o ressarcimento.
A SEMED – Secretaria Municipal de Educação, através da ASCOM – Assessoria de Comunicação, se manifestou através de NOTA, que você pode conferir a seguir:

“Em relação ao manifesto de estado de greve anunciado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) – subsede de Paraupebas sob queixa de melhores condições de trabalho, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), esclarece que:

– O ensino público da rede municipal tem recebido investimentos significativos, sobretudo no atual momento de pandemia, como aquisição de nova plataforma de ensino, formações continuadas, criação de fundos rotativos mensais para custeio de ações pedagógicas, distribuição de cartão de merenda para assegurar nutrição dos estudantes, entre outras ações.

– Novas escolas serão entregues à comunidade nos próximos dias, a saber: Jonas Barros do Amaral ( Cidade Jardim), Dalmo Tenório ( Alto Bonito) e Elonilda de Oliveira (WTorres). Além disso, mais unidades, de ensino fundamental e educação infantil, seguem sendo construídas.
– O processo de aquisição de tablet para os alunos e de notebooks para os professores está em andamento. Por se tratar de operação orçamentário-financeira complexa e robusta, todos os cuidados jurídicos e administrativos estão sendo tomados para respaldar a licitação.

– O governo municipal sempre esteve e se mantém aberto ao diálogo. Todas as pautas apresentadas pelo Sindicato têm sido tratadas com seriedade e compromisso, sendo atendidas na medida do possível.

A Prefeitura de Parauapebas vai continuar trabalhando para que a educação pública municipal seja de qualidade e acessível a todos, mesmo em tempos difíceis, como atualmente”.

Comentários do Facebook