19 de abril de 2021

Sexta-feira Santa: entenda porque é feriado e conheça os motivos da celebração

Você ainda lembra as razões do feriado da sexta-feira Santa ou só segue a tradição? Já parou para pensar a razão de este dia ser feriado? Agora você vai conhecer, ou recordar, estes aspectos de mais um feriado que envolve uma celebração religiosa comemorada no Brasil.

Por que é feriado?

Desde o período da colonização portuguesa, muitos eventos e celebrações brasileiras estão ligados a fé cristã e a Igreja Católica, então vários aspectos da história brasileira estão incorporados a feriados religiosos ou vinculados a santos. Oficialmente, a Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995, institucionalizou a sexta-feira santa como um feriado federal que se realiza no período da semana santa.



Celebração diária e contexto histórico

Antes de pensar nesta sexta-feira, 2, pense no último domingo, 28. Para a Igreja Católica, a chamada Semana Santa começa neste momento.

Embora todos os anos os dias referentes a semana santa, sexta-feira Santa e Páscoa mudem, vale lembrar que o que acontece no período sempre relembra a sequência de acontecimentos registrada na Bíblia como paixão (que no latim significa sofrimento), morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Para a Igreja Católica e demais religiões que seguem a figura de Jesus, a Semana Santa que se inicia em um domingo e termina em outro domingo, o de Páscoa, são um momento anual para recriar e homenagear os períodos de paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. A celebração é o momento central da liturgia católica romana.

De acordo com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a celebração da Semanas Santa começa pelo Domingo de Ramos (este ano celebrado no dia 28 de março), onde é relembrada a tradição cristã onde o povo cortou ramos de árvores e folhas de palmeiras para cobrir o chão por onde Jesus passou montado num jumento. De acordo com a narrativa bíblica, este ato dá origem a uma trama que dentro de alguns dias culminaria na morte de Jesus.

Na segunda-feira, 29, é relembrado o momento em que Jesus chega a Betânia para fazer a última visita aos amigos, onde relembra o próprio sofrimento e dificuldades. Na terça-feira, 30, há uma certa antecipação dos acontecimentos de traição, então neste dia os eventos religiosos feitos em casa ou em igrejas são para recordar a confiança na fé e na figura divina.

Durante a quarta-feira, 31 e quinta-feira Santa, 1, acontecem momentos que tradicionalmente são celebrados em comunidade. Na quarta-feira pelo evento da Procissão do Encontro e na quinta-feira pela chamada Santa Missa da Ceia do Senhor, onde são recriados diversos acontecimentos bíblicos associados ao momento da última ceia como a benção dos santos óleos e a cerimônia do lava-pés.

Já na sexta-feira Santa, o objetivo é relembrar e reviver, mesmo que mentalmente, o momento bíblico da prisão de Jesus, assim como sua caminhada até o local onde será crucificado. Este momento em especial é utilizado para profunda reflexão para que o fiel tente se colocar no lugar das situações vividas por Jesus e ao mesmo tempo demonstrar respeito.

No sábado, 2, e domingo de Páscoa, neste ano celebrado no dia 3 de abril, acontece a transição mais esperada pelos fiéis da fé cristã: enquanto no sábado se utiliza o silêncio do momento da morte e sepultamento para reflexão, oração e leitura de passagens bíblicas, no domingo se celebra o dia em que o espírito e corpo de um Jesus que antes estava morto foram reunificados. A celebração e a euforia da ressurreição se materializam no dia mais importante da celebração cristã, que para os fiéis relembra a renovação e a celebração de um compromisso com a figura divina e seus propósitos.

Por: Roma News

Comentários do Facebook