19 de abril de 2021

Refém morto no Guamá era tecladista da Assembleia de Deus

Uma imensa rajadas de tiros entre policiais civis e suspeitos gerou medo e confusão na tarde de ontem (1), que foi noticiado no Parazão, na rua Caraparu, no bairro do Guamá, em Belém. O resultado foram três pessoas mortas e dois feridos.

Entre as vítimas fatais estava João Macedo, que trabalhava como motorista de aplicativo e foi feito refém durante a ação. Segundo informações, ele fazia trabalhos como tecladista na igreja Assembleia de Deus, no bairro da Terra Firme, onde morava. João foi colocado dentro do porta-malas do carro durante a ação criminosa

No veículo haviam cinco ocupantes, mas dois conseguiram sobreviver. Um policial foi atingido na mão e recebeu atendimento médico.



De acordo com a Polícia Civil, durante uma abordagem policial, os agentes foram recebidos com disparos de armas de fogo, vindos de um carro. “Na troca de tiros, um policial civil foi baleado. Dos cinco passageiros que estavam no carro, três vieram a óbito no local e dois foram encaminhados para o hospital. Um inquérito foi instaurado para apurar o caso”, diz a nota.

Segundo moradores, o alvo dos criminosos seria um comerciante.

*Com informações do DOL

Comentários do Facebook