26 de julho de 2021

PF diz que ataque ao Ministério da Justiça foi realizado por atirador registrado no Exército

Uma investigação da Polícia Federal descobriu que o homem preso por executar um atentado contra o Ministério da Justiça, em novembro de 2020, é um colecionador de armas registrado no Exército. As informações foram divulgadas pelo programa Fantástico, da TV Globo.

Segundo a reportagem, Luiz Antonio Iurkiewiecz faz parte do grupo de colecionadores, atiradores desportivos e caçadores (CACs), grupo beneficiado pela flexibilização de acesso às armas de fogo.

Desde 2019, já foram 14 decretos, 15 portarias, uma resolução da câmara de comércio exterior e uma instrução normativa da Polícia Federal para facilitar o acesso a armas de fogo no país. A última leva de decretos presidenciais autoriza a compra de até 60 armas por atiradores desportivos sem a necessidade de uma autorização especial do Exército.

Parlamentares a favor e contra essas medidas travam uma disputa no Senado. Os projetos de decreto legislativo que questionam os decretos presidenciais seriam votados na última quinta-feira, 8, mas foram retirados a pedido do relator, senador Marcos do Val (Podemos). A oposição protestou e classificou o adiamento como uma manobra.
Com informações G1 / Romanews

Comentários do Facebook