17 de maio de 2021

Pará foi o estado com a maior diminuição de mortes, estatísticas mostram que modalidade criminosa continua caindo em Parauapebas

Os dados apontam que houve, em todo o Brasil, 43.892 assassinatos em 2020, o que significa 2.162 mortes a mais que em 2019. Assim, a região Nordeste foi a principal responsável pela alta no país: 20% de aumento o Ceará foi o destaque negativo, com um aumento de 81% nas mortes.
14 estados apresentaram alta de assassinatos no período, quando 4 estados tiveram altas superiores a 15%: Paraíba, Piauí, Maranhão e Ceará. Porém, a maior queda se deu na região Norte: -11%; onde o Pará foi o estado com a maior diminuição de mortes: 19%.


Segundo o pesquisador Aiala Couto, da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, há duas forças hegemônicas que influenciam a queda dos índices de criminalidade: uma relacionada ao Estado e outra relacionada à atividade ilícita, sobretudo ao narcotráfico. “Hoje temos uma presença maior da Polícia Militar nas ruas e também tivemos várias prisões de grupos milicianos que promoviam execuções de forma descontrolada na periferia, que atingia principalmente a população jovem negra”, explica Couto, no entanto, ele aponta que, a partir de pesquisas empíricas nos bairros de Belém, nota-se uma mudança na organização do crime, que se aproxima do modelo seguido por facções de São Paulo e do Rio de Janeiro.


De acordo com os dados da pesquisa, os bairros onde houve uma redução das mortes violentas foram os mesmos em que o tráfico de drogas impôs um modelo de organização proibindo assaltos, brigas de vizinho e de marido e mulher. Mas os dados [da Secretaria de Segurança] não mostram essa dinâmica.
Estatísticas mostram que modalidade criminosa continua caído em Parauapebas – De acordo com dados obtidos no 23º BPM, no mês de março do ano passado, 2020, ocorreram sete homicídios em Parauapebas, já no mesmo mês desse ano foram apenas três. Mas, a estratégia para que a redução de atentados contra a vida aconteça nos municípios que estão na área contemplada por esse batalhão, conforme explicado pelo Tenente Coronel Gledson Santos, Comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, já está sendo colocada em prática. “Esses homicídios, às vezes, são bem direcionados, podendo ir desde um acerto de contas. Mas, com a persistência da pandemia, muitas pessoas estão fazendo uso de bebidas alcóolicas em casa e isso gera conflitos onde não tem quem interrompa e quando se dá por conta já ocorreu uma tragédia irreversível”, explica Gledson, dando por diferença que quando um cidadão alcoolizado se excede, estando em um bar ou logradouro público, outras pessoas intervêm ou a polícia chega a tempo de evitar o pior, situação contrária quando tem apenas duas pessoas e chegam a se desentender.


O resultado positivo em favor da sociedade, sentido na redução da criminalidade nos últimos dois anos é, segundo o comandante militar, graças ao programa Polícia Mais Forte, que hoje conta com seis pontos em que a polícia se faz presente no período de 17hs às 23hs, tem sido implementado. “Isso vem surtindo efeito, podendo ser sentido na redução do número de homicídios ocorridos em Parauapebas no primeiro trimestre deste ano, 2021”, comemora Gledson Santos, mensurando que a citada modalidade criminosa tenha tido aumento nos municípios vizinhos, Canaã dos Carajás, Eldorado do Carajás e Curionópolis, no mesmo período.

Francesco Costa

Comentários do Facebook
Share