1 de agosto de 2021

Espaço socioeducativo do Pará começa a usar música com adolescentes

Coordenar o ritmo de batidas e sopros metálicos é o mais novo desafio para adolescentes atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa). O projeto-piloto de Musicalização e Banda de Fanfarra foi apresentado para socioeducandos e servidores nesta terça-feira (13) no Centro Juvenil Masculino (CJM), em Ananindeua, município da Região Metropolitana de Belém.

A Fundação adquiriu instrumentos de percussão e de sopro para as aulas musicais teóricas e práticas oferecidas aos adolescentes. Inicialmente, participarão três socioeducandos entre 12 e 15 anos, que cumprem medida de internação no CJM. Ao longo do processo, mais alunos serão agregados. A meta é alcançar as demais unidades socioeducativas do Estado.

A coordenadora de Atendimento Socioeducativo da Fasepa, Regina Fernandes, explicou que o Projeto de Musicalização e Banda de Fanfarra vai se agregar ao Projeto Polo Produtivo, já executado pela Fundação por meio de cursos profissionalizantes. “Mesmo em tempo de pandemia a gente não deixa de pensar os projetos, não deixa de desenvolver as atividades. É claro que com toda a segurança exigida pelos protocolos de saúde”, esclareceu Regina Fernandes sobre o uso de máscaras e álcool em gel durante as aulas.

Uma das metas do projeto é, futuramente, a Banda de Fanfarra se apresentar em espaços fora da Fasepa. “Mas o nosso objetivo maior é trazer para esses adolescentes essa reflexão de amor ao próximo, esse pensar por dentro da musicalização, nessa energia que a música traz pra gente, para ajudá-los no processo de ressocialização, para que possam voltar à sociedade com algo a mais”, ressaltou a coordenadora.

Comentários do Facebook