17 de maio de 2021

Bolsonaro pede que seguidores se preparem após ameaçar bater em senador

Após se tornar pública uma conversa telefônica entre o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Jair Bolsonaro (sem partido), em que o presidente ameaça bater no senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) – parlamentar que propôs a criação da CPI da Pandemia, no Senado Federal -, em uma publicação no Facebook, o mandatário da nação pediu que seus seguidores se preparem.
Além de ameaçar bater em Randolfe, Bolsonaro falou a Kajuru sobre a necessidade de investigar governadores e prefeitos, o que desviaria do foco da comissão parlamentar de inquérito criada para analisar as omissões e perversões do governo federal frente à doença.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) fazia ‘vista grossa’ para a CPI da Pandemia, retardando sua abertura, pois já haviam sido coletadas as assinatura necessárias, entre os senadores, para que a comissão pudesse ser aberta.

Somente após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que exigiu a abertura, Pacheco, que é aliado de Bolsonaro, cedeu e confirmou que vai encaminhar o inicio da CPI

Com a repercussão do áudio em que Bolsonaro estimula Kajuru a se envolver na CPI da Pandemia em seu favor, Bolsonaro fez uma publicação no Facebook, nesta segunda-feira, atacando as medidas de isolamento social, criticou a proibição de aglomerações em cultos e disse que essas medidas são uma amostra do “comunismo” e da ação de “protótipos de ditadores”.

Na publicação, Bolsonaro tenta induzir seus seguidores a entender que a CPI da Pandemia seria uma disputa entre o bem (ele mesmo) e o mal (quem o critica). Mais uma vez, o presidente não perdeu a chance de retomar a facada que recebeu de Adélio, durante a campanha eleitoral de 2018, e afirmou que se ele tivesse morrido, Fernando Haddad (PT) ou Ciro Gomes (PDT) poderiam estar governando, o que para ele significaria que ninguém mais nesse país viveria em ‘liberdade’.

Depois, Bolsonaro ainda se esquivou de qualquer responsabilidade pelo caos econômico e social, o qual vivemos, desconsiderou sua culpa no atraso de mais de três meses na retomada do auxílio emergencial, com uma redução drástica no valor que já era baixo, de R$ 600 para R$ 150 e afirmou: “Cada vez mais a população está ficando sem emprego, renda e meios de sobrevivência… o caos bate na porta dos brasileiros”.

Por fim, Bolsonaro disse: “Pergunte o que cada um de nós poderá fazer pelo Brasil e sua liberdade e … prepare-se”.

Veja a íntegra da convocação que Bolsonaro fez aos seus seguidores:

Nos momentos difíceis deve-se unir forças, nunca ofender exatamente aquele que pode ser decisivo nesse salvamento.

– Se a facada tivesse sido fatal, hoje você teria como Presidente Haddad ou Ciro. Sua liberdade, certamente, não mais existiria.

– Não desagregue, some, acredite… Convença aqueles que estão ao seu lado a defender a Constituição, em especial seu art. 5°, a nossa Bandeira verde e amarela…

– Hoje você está tendo uma amostra do que é o comunismo e quem são os protótipos de ditadores, aqueles que decretam proibição de cultos, toque de recolher, expropriação de imóveis, restrições a deslocamentos, etc…

– Cada vez mais a população está ficando sem emprego, renda e meios de sobrevivência… o caos bate na porta dos brasileiros.

– Pergunte o que cada um de nós poderá fazer pelo Brasil e sua liberdade e … prepare-se. Catraca Livre

Comentários do Facebook