26 de julho de 2021

Universidade oferece curso de libras para profissionais de saúde

universidade-oferece-curso-de-libras-para-profissionais-de-saude

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná está com inscrições abertas no endereço https://bit.ly/2NWiN2m para curso gratuito online de libras (língua brasileira de sinais) voltado para profissionais da área da saúde. A meta é facilitar o entendimento e a comunicação entre profissionais que atuam no combate à covid-19 e pacientes surdos.

O minicurso Libras na Linha de Frente oferece 40 vagas. Terão preferência profissionais formados e estudantes da área da saúde de todo o Brasil. O curso começa na próxima segunda-feira (29) e se estenderá até o dia 2 de abril, sempre às 17h, com duração de uma hora e meia por encontro. 

As aulas são dadas por Alexsander Pimentel, professor, tradutor e intérprete de libras. Quem tiver, no mínimo, 75% de presença ganhará certificado de participação.

A iniciativa é de acadêmicos do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia em Saúde da universidade. Eles participam do projeto Unidos pela Saúde, desenvolvido por mestrandos e doutorandos em conjunto com profissionais de saúde voluntários e estudantes de outras instituições. O projeto tem como foco principal levar informações de cuidados de saúde à população em geral de maneira acessível e adaptada às pessoas com deficiências.

Acolhimento

A mestranda Luana Bastos afirmou que, quando um paciente surdo é atendido por um profissional de saúde que conhece libras, ele se sente muito mais acolhido. 

“O curso tem o propósito de romper o isolamento da comunicação e a exclusão das pessoas com deficiência auditiva. Essa é a terceira turma que abrimos e as avaliações dos grupos anteriores têm sido bastante positivas”, disse.

Vivianne Cristina Carvalho de Menezes, de Manaus (AM), achou a experiência proveitosa. “Adorei participar do grupo e poder aprender um pouco mais de libras, língua que me encanta. Agradeço, de coração, pela oportunidade e pela iniciativa. É muito importante que hospitais e unidades de saúde tenham profissionais que possam se comunicar com os surdos”. 

Ana Alice Venâncio Pontes Medeiros, de Mogi das Cruzes (SP), participou de curso anterior e achou excelente. “A didática e a interação fizeram com que eu aprendesse muito melhor. Trata-se de uma introdução à língua brasileira de sinais e me ajudou muito”, finalizou. 

 

Fonte: Agência Brasil

Comentários do Facebook
Share