17 de junho de 2021

Donos e funcionários de academias de Parauapebas protestam contra novo decreto anunciado ontem

O novo decreto que foi anunciado ontem (9), em coletiva de imprensa pelo Governador Hélder Barbalho, gerou revoltas de donos e funcionários de academias de Parauapebas, que ficarão fechadas pelos próximos sete dias portanto, decidiram protestar nesta quarta-feira (10).

Conforme o novo decreto, serão mantidas as regras vigentes na última semana, com algumas alterações, dentre elas, o fechamento também de cinemas e a restrição de horário de funcionamento do comércio e da circulação de pessoas.

Wilker Souza pede que academias funcionem mesmo com restrição de horários


Wilker Souza, personal trainer e proprietário de academia há seis anos, afirma ser revoltante ver abertos restaurantes e outras atividades não consideradas essenciais enquanto os locais de treinamento físico fecham as portas.
“Restaurantes estão abertos com limitação de horários e aqui, onde se promove saúde, estamos fechados. Casa lotérica, tudo funcionando normal. Eu tenho toda minha equipe que tá aqui, precisa de mim, precisa do salário e eu estou sendo impedido de trabalhar e dar o sustento da família dos meus colaboradores”, reclama.

Conforme ele, a Comissão das Academias de Parauapebas está reunida com representantes do Poder Municipal pedindo interferência para que seja reavaliada a decisão estadual. “A reivindicação é básica. A gente tá pedindo pra trabalhar normalmente. Pode ter restrição de horário, o uso de máscara, que a gente sempre usou, mas que possamos abrir porque a academia promove a saúde e tem muitos lugares que não promovem saúde e estão funcionando”, reitera.

Wilker destaca que o movimento não abre mão de uma mobilização mais contundente caso não seja atendida e cita a possibilidade de serem fechadas as entradas e saídas do prédio da Prefeitura Municipal. A Guarda Municipal permanece realizando a segurança do espaço.

“Dependendo de como se der a conversa a gente decide se a nossa manifestação continua. No ano passado a gente passou três meses de portas fechadas. Imagine o prejuízo disso até para o estado”, finaliza.

Nesta terça-feira (9) Parauapebas confirmou 152 novos casos de pessoas com covid-19 e 244 óbitos, além de 63% da taxa geral de leitos ocupados. Dentre as vagas de UTI do SUS há 80% de ocupação e 75% dos leitos de enfermaria. A taxa de ocupação de leitos de UTI particular é de 61% e de enfermaria é de 44%.

O Correio de Carajás entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Parauapebas, mas até o momento não houve posicionamento sobre o caso.



NOTA DE ESCLARECIMENTO

Os representantes das academias foram recebidos na tarde desta quarta-feira, 10, pelo chefe de gabinete, João Corrêa. A reunião também contou com a presença de: Anderson Moratório, adjunto da chefia de gabinete; Vicente Reis, assessor de comunicação e dos vereadores Ivanaldo Braz e Zacarias Marques.

Os manifestantes se posicionaram contra o Decreto Estadual 800/2020, que determina o fechamento desses estabelecimentos em todo o Pará. E solicitaram a inclusão das academias como atividades essenciais.

Durante a reunião, foi informado que a Prefeitura de Parauapebas aguarda a conclusão de um estudo técnico-científico, elaborado pela secretaria municipal de Saúde (Semsa), sobre a atual situação da pandemia no município, que deverá embasar um novo decreto com previsão de ser publicado até a próxima sexta-feira, 12. Dependendo do cenário, a gestão municipal poderá flexibilizar o Decreto Estadual.

Outra questão definida, é que o executivo encaminhará a minuta de um Projeto de Lei à Câmara Municipal, estabelecendo as atividades desenvolvidas nas academias, e afins, como essenciais.

É importante frisar que, além da situação sanitária, a prefeitura se preocupa em garantir que a economia não pare, e que as pessoas tenham condições de sustentar suas famílias. Mas é preciso que as ações tomadas pelo município não comprometam a saúde da população.

Assessoria de Comunicação
Prefeitura de Parauapebas

(Luciana Marschall e Rayane Pontes) Fotos: Rayane Pontes Correio de Carajás

Comentários do Facebook
Share