17 de junho de 2021

Regular o metabolismo previne obesidade, afirma nutricionista

Substituir os velhos hábitos alimentares por verduras, reduzindo assim o consumo de carnes vermelhas, massas e alimentos gordurosos, é a iniciativa proposta pela especialista “O ritmo metabólico do organismo exige muito mais do que a alimentação que o indivíduo consome ou da atividade física praticada. Depende também do fator idade e funções hormonais”, afirma Laine Carrera, nutricionista, detalhando que a pessoa pode até ter boa alimentação, mas, caso ela tenha baixa quantidade de massa muscular, normalmente, o metabolismo dela é mais lento.
A nutricionista alerta também que, devido essa diferença no ritmo metabólico, nem todas as pessoas devem seguir a recomendação de consumir 2 mil calorias diárias; e orienta que a forma de acelerar o metabolismo é com o ganho de massa muscular.


O ideal, segundo ela, para quem pretende emagrecer, é consumir, em calorias, menos do que gasta; para quem pretende manter o peso, adequar o consumo com o gasto; e para quem pretende ganhar peso, o ideal, naturalmente, é consumir mais calorias do que gasta. “Para as pessoas que mudam a rotina física, seja por força do trabalho ou de treinos em academias, é preciso fazer essa conta e readequar as calorias, sejam para mais ou para menos de acordo com a nova situação”, ressalta a nutricionista.




Mas, para a tranquilidade de muitos, a taxa basal, que é aquela que o corpo utiliza para manter as funções vitais, mesmo estando no mais absoluto repouso, já consome até 75% do que é disponibilizado conforme a rotina ativa da pessoa. Essa taxa é somada com o que é gasto em atividade, porém, se a pessoa tem um trabalho em condições quase que de repouso, será considerado como sedentário, tendo os outros 25% a finalidade de se acumular transformando-se em gordura.

Laine Carrera


“Não é difícil ingerir mais do que gasta quando a pessoa dá preferência a alimentos gordurosos, refrigerantes, fast food etc”, mensura Laine, dizendo que desde a gravidez esses hábitos podem ser construídos, pois, se a mãe teve uma gestação com muitos excessos e por isso ganhou muito peso, provavelmente, ela já mudou o fator genético da criança que nascerá com muito mais vontade de comer doces e com muito mais propensão ao ganho de peso.


Substituir os velhos hábitos alimentares por verduras, reduzindo assim o consumo de carnes vermelhas, é a iniciativa proposta pela nutricionista; além de propor que se coma a própria fruta e não ingerir sucos integrais industrializados. Receber vitamina D, direto da fonte que é o sol, também faz melhorar.


Para Laine Carrera, a imunidade é o funcionamento do corpo, que além de ser de graça, é de grande importância; o consumo de própolis também é apontado por ela como relevante para não apenas viver mais, mas, de forma independente com plena saúde para curtir os anos.

Comentários do Facebook