25 de junho de 2021

Ônibus que saiu do Pará colide com caminhão em São Paulo e deixa sete mortos e 34 feridos

Um acidente envolvendo um caminhão e um ônibus que saiu do Pará com destino ao Rio Grande do Sul deixou sete mortos e 34 feridos na noite desta segunda-feira (21), na rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), próximo ao município de Parapuã, que fica localizado a cerca de 660 quilômetros de São Paulo. Entre os feridos, pelo menos 14 foram socorridos em estado grave. As circunstâncias e causas do acidente estão sendo investigadas.

Ônibus que vinha do Pará colidiu com o caminhão na altura do km 485 da rodovia estadual paulista Assis Chateaubriand (SP-425)


Segundo a Polícia Rodoviária, o ônibus de turismo com placa de Pelotas (RS) iniciou viagem no município de São Félix do Xingu, no sudeste paraense, e seguia para o Rio Grande do Sul, quando colidiu com o caminhão na altura do km 485 da rodovia. Ainda não há informações sobre o número total de passageiros que estavam no ônibus.
As primeiras vítimas identificadas são dois irmãos que estavam no caminhão: o motorista, Donizete Alexandre dos Santos Filho, de 30 anos, e Bartogaleno Alexandre dos Santos, de 33 anos. Os corpos deles foram levados a Lucélia (SP), onde moravam. O sepultamento está previsto para às 17h desta terça-feira (22).
De acordo com a Santa Casa de Misericórdia de Osvaldo Cruz, 21 vítimas do acidente foram atendidas na unidade, que fica a cerca de 13 quilômetros de Parapuã. Outras vítimas foram levadas para hospitais em Parapuã, Tupã e Marília. Dos pacientes atendidos em Osvaldo Cruz, seis continuam internados, seis em observação e dois foram transferidos para Marília. Os demais foram liberados.
Na Santa Casa de Parapuã, dez pessoas receberam atendimento médico, três tiveram alta e sete pacientes foram transferidos para Marília. Já em Tupã, a Santa Casa recebeu cinco vítimas e todas continuam internadas.
Ao todo, nove pessoas foram encaminhadas à Santa Casa de Marília. No entanto, a unidade informou à TV Fronteira na manhã desta terça-feira (22) que não poderia fornecer informações sobre pacientes.

Vítimas fatais

Além dos irmãos Donizete e Bartogaleno, as demais vítimas ainda não foram identificadas. Duas mulheres e três homens que estavam no ônibus morreram. Um deles era o motorista. As outras cinco vítimas foram levadas ao Instituto Médico Legal (IML), em Tupã e aguardam o reconhecimento das famílias. O LIBERAL

Comentários do Facebook
Share