23 de junho de 2021

Vereador Elias da Construforte propõe a criação do Programa de incentivo a inseminação artificial

O programa, voltado para a agropecuária leiteira, já está em andamento, beneficiando pequenos produtores rurais; que melhoraram a qualidade do rebanho e, consequentemente, aumentaram a produção de leite.


A ideia é defendida pelo vereador Elias da Construforte demonstrado na Indicação 458/2019, quando propôs ao Poder Executivo Municipal a criação do programa de incentivo de inseminação artificial para a agropecuária leiteira. “O sonho de qualquer produtor leiteiro é ter um rebanho com alto potencial genético e com ótima produtividade. Um desafio possível para aqueles que investem constantemente no melhoramento do rebanho”, explica o vereador Elias, que também é produtor rural, motivo que o permite mensurar que a pecuária leiteira vem se tornando cada vez mais moderna e competitiva, sendo necessário o manejo reprodutivo eficiente, cujo intuito é fazer com que as vacas leiteiras tenham o maior número de crias ao longo da vida, garantindo um maior tempo de lactação e assim gerar animais geneticamente superiores.

Elias da Construforte


Ainda em sua justificativa, Elias diz que, nesse processo, as biotecnologias reprodutivas têm o objetivo de modificar e melhorar o gado de leite, para atender a demanda do manejo e consequentemente intensificar a produção leiteira, sendo preciso, para a ocorrência dessa realidade, que o Poder Executivo Municipal, através da Secretaria de Produção Rural, possibilite o uso de sêmen de touros provados (com teste de progênie).


Como saldo, conforme afirmado pelo vereador Elias da Construforte, o produtor evita gastos de investimento com a compra de touros, e a transmissão de enfermidades pelo touro; permite cruzamentos alternados entre raças diferentes; possibilita a melhoria de certas características desejáveis. “Isso é o aperfeiçoamento da técnica de Inseminação Artificial, já que não exige a observação dos cios, pois utiliza protocolos hormonais com o intuito de sincronizar os cios e, consequentemente, as ovulações. Ou seja, a inseminação ocorre no período em que os inseminadores desejam”, detalha Elias da Construforte, apontando as principais vantagens:

Inseminação com dia e hora marcados, eliminação da detecção de cio, indução da ciclicidade em vacas em amestro, redução do intervalo entre partos, aumento da produção de bezerros, e custos acessíveis.
Dados específicos da EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, apontam que uma das principais causas da baixa produtividade do gado leiteiro é a qualidade genética do animal; por isso, para produzir mais e melhor, o gado leiteiro precisa, antes de tudo, ter uma boa genética. “E é possível investir no melhoramento genético do rebanho. Isso é possível através da incorporação de genes que possuem características desejáveis para alta produção dentro do rebanho leiteiro e a retirada de genes indesejáveis. Por isso, esse programa é um instrumento com o objetivo de aumentar a produtividade para o produtor leiteiro”, afirma Elias, dando como importante para o sucesso de um produtor de leite todas as fases, inclusive o período seco, considerado o mais importante na garantia de uma boa lactação.


De acordo com a experiência do vereador Elias da Construforte, as boas práticas de seleção de embriões para uma inseminação artificial proporcionam: bezerros saudáveis, lactação com início tranquilo e saudável, maiores produções de leite, colostro de excelente qualidade, menores taxas de aborto, bezerros saudáveis, redução na incidência de distúrbios metabólicos, maior expectativa de vida e menor descarte, maior lucratividade para o produtor e satisfação no trabalho.


Outro ponto alto no aumento da produção de leite, apontado pelo vereador Elias em sua justificativa, é o aumento da rentabilidade financeira para os produtores e crescimento da pecuária leiteira. O que só é possível, em sua opinião, através da reprodutiva do rebanho de leite, sendo preciso diminuir o intervalo entre partos, aumentar a proporção de animais em lactação e o número de bezerros por ano. “O melhoramento genético dos bovinos leiteiros é visível nas propriedades que tem adotado a inseminação artificial como prática de manejo reprodutivo, expressando-se no volume de produção por animal, perfil zootécnico leiteiro, caracterização racial mais definida”, conclui Elias da Construforte.

Comentários do Facebook