23 de junho de 2021

Vereador Elias da Construforte é o autor da Indicação que garantiu iluminação super led para Parauapebas


É graças à iniciativa do vereador Elias da Construforte que a população de Parauapebas, hoje, tem mais comodidade e segurança no período noturno, e o município mais desenvolvimento e economia para os cofres públicos. Tudo por causa da troca das lâmpadas incandescentes que, além de gerar mais gastos com manutenção e em consumo, deixava as ruas da cidade escuras; porém, todas foram trocadas pelas lâmpadas de SUPER LED, tornando a Parauapebas como a primeira cidade do Brasil totalmente iluminada com este sistema econômico e inovador.

Elias da Construforte


A Indicação (201/2017), apresentada pelo vereador Elias da Construforte, foi o pontapé inicial para que se iniciassem estudos de viabilidade, licitação e, consequentemente, a execução da obra que foi a troca de todo sistema. De acordo com o entendimento do vereador, a substituição de lâmpadas incandescentes no Brasil está ocorrendo gradativamente, e novas tecnologias estão chegando ao mercado, prova disso que, desde junho de 2016, algumas lâmpadas incandescentes estão fora de fabricação. “Na troca de uma lâmpada incandescente por uma LED, você economiza até 83% de energia”, mensura Elias da Constrforte, assegurando que toda essa economia e maior durabilidade reduz os impactos ao meio ambiente, seja na redução da emissão de CO2 por kWh de energia gerada, seja por reduzir a quantidade de lixo ou pela ausência de elementos tóxicos a saúde humana e ao meio ambiente.




Outro ponto importante, conforme justificou Elias da Construforte, para a implantação das lâmpadas econômicas, é que os últimos dados sobre a produção de energia no mundo, indicam que as maiores fontes geradoras de energia elétrica são as maiores emissoras de gases CO2, agravadores do efeito estufa: mais de 67% da energia elétrica produzida vem da queima de derivados de petróleo, carvão mineral e gás natural; e apenas 16% tem origem na hidroeletricidade, uma fonte energética considerada renovável por muitos estudiosos. No Brasil, a maior parte da energia elétrica produzida é de origem em hidrelétricas, e pequena parcela vem de termelétricas.


Já as áreas relacionadas a iluminação artificial são responsáveis por parcela significante na demanda energética, tanto em grande escala – como na iluminação de vias públicas ou de edifícios industriais, – quanto em escalas menores – em edifícios comerciais e habitacionais. “O desenvolvimento de luminárias com tecnologia LED (Light Emitting Diode) surge, nesse contexto, como alternativa para as lâmpadas convencionais de baixo rendimento energético. As lâmpadas LEDs já são uma alternativa viável, principalmente para os prédios públicos por representar economias”, compreende Elias da Construforte, apontando hoje que o resultado não foi diferente do projeto apresentado na época podendo ver a possibilidade de redução no valor da taxa de iluminação pública cobrada do consumidor em Parauapebas que se tornou na primeira cidade totalmente iluminada com por super led.

Por: Francesco Costa

Comentários do Facebook