24 de junho de 2021

Novo Capitulo: Agricultura familiar se transforma em pesadelo aos beneficiários da FETRAF-PA em Parauapebas

Segundo informações das vitimas uma pessoa que seria membro da Fetraf estaria usando o nome da instituição de má fé para aplicar golpes nos beneficiários

A menos de um mês, integrantes do acampamento Nova Conquista, da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), em Parauapebas, denunciam terem sido agredidos por seguranças que prestam serviço para a mineradora Vale, na noite do domingo, 21/06. Bombas de efeito moral e balas de borracha foram disparadas pelos seguranças, aproximadamente às 19h, na região conhecida como Fazenda Lagoa, próxima ao Bairro Nova Carajás, perto da Estrada de Ferro Carajás.

Desta vez a denuncia, partiu de alguns próprios entregantes do Movimento. Ao ter um sonho de adquirir um lote para assim viver da agricultura familiar se tornou um pesadelo a centenas de beneficiários da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Pará (FETRAF-PA) em Parauapebas. Isso porque uma pessoa que seria membro do órgão estaria usando de má fé o nome da instituição para aplicar golpes nas famílias atendida hoje no município.

De acordo com a denúncia um homem identificado apenas por Rubão, e que seria membro da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Pará – (FETRAF-PA), estaria cobrando o valor de R$ 1200,00 reais para que as famílias realizassem o cadastro e aderisse um lote na área localizada no Linhão às proximidades do Bairro Tropical em Parauapebas Sudeste do Pará. Além do valor, ele também usava de outra manobra para tirar vantagem financeira sobre os lotes, segundo relatos das vítimas, ele realizava o cadastro de várias pessoas no mesmo terreno causando transtorno em quem acreditou está comprando um pedaço de terra para produzir.

O suposto local que estaria à venda pertence à prefeitura de Parauapebas, o homem estaria aplicando o mesmo procedimento em outras áreas do município. Há pessoas que chegam a pagar mais de até 8 mil reais, o problema é que quando o comprador vai até o lote, já existe outro proprietário no local que também pagou pela terra.

Uma das áreas oferecidas pelo golpista fica localizada no Bairro Nova Carajás, onde a menos de um mês, houve diversos conflitos devido à atitude do suposto vendedor.

Ouça aqui uns dos áudio:

Comentários do Facebook
Share