23 de junho de 2021

Moradores são recebidos a balas por seguranças da mineradora Vale

Na capa da matéria é o resultado dos disparos de bala de borracha da senhora idosa e até crianças que foram atingidas. Dona Maria foi atingida na cabeça e no braço que estava bastante inchado.

Vários moradores do loteamento Nova Conquista, bairro Nova Carajás em Parauapebas, estiveram na 20ª Seccional de Polícia Civil em Parauapebas, para registrar o Boletim de Ocorrência, neste último domingo (21), após serem agredidos por seguranças que prestam serviços para mineradora Vale.


De acordo com Aldizo Santos, coordenador da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, há 4 anos que a comunidade não dispõe de energia elétrica na localidade, varias reuniões já foram feita, para tentar resolver a situação porém sem avanços. “Aquela comunidade está vivendo sem saber o que é beber uma água gelada e sem assistir o jornalismo, porque não tem a energia e a gente vem tentando várias vezes puxar essa energia lá e não conseguimos ainda e quando a gente já tá com todo material concluído resolvemos contratar uma empresa para ligar essa energia. Nossa Federação conversou com alguns funcionários da Vale por telefone e teve um representante da Vale que foi pessoalmente e a gente conversou com e também com a segurança da Prosegur, estávamos tentando manter uma resposta sem ter conflito”, disse o coordenador da FETRAF, detalhando que eles iriam fazer a instalação da energia por conta própria no local foi quando começou a confusão.


Ainda conforme contado pelo coordenador, eles estavam ali com o intuito de puxar uma energia que todo cidadão tem direito na sua casa; mas, no final do dia eles começaram a atacar com bomba de spray de pimenta e disparos com punição letal e também de borracha. “Os moradores estavam reunidos após oração quando seguranças chegaram atirando contra os moradores”, contou um popular, dando conta de que o ataque deixou pessoas em estado grave no hospital.
Agora, a reivindicação daquela comunidade é que as autoridades competentes tomem providências.

Em nota, a Vale informa que no domingo, 21/6/20, a sua equipe de segurança foi recebida a tiros de arma de fogo por um grupo de aproximadamente 40 pessoas que ocupam irregularmente área de propriedade da empresa denominada Fazenda Lagoa, no município de Parauapebas. O registro está no boletim de ocorrência número 0071/2020.103382-8, registrado na delegacia de Parauapebas em 22 de junho.

A segurança da empresa foi chamada depois que o grupo invadiu área da empresa e tentou instalar postes para ligação clandestina de energia elétrica no local. Após várias horas de diálogo na tentativa de convencer o grupo a paralisar a ação ilegal, os seguranças iniciaram a operação de desforço imediato utilizando os meios necessários não letais e em legítima defesa.

A Polícia Militar e os bombeiros foram imediatamente acionados para controlar a situação e prestar o atendimento médico. A Vale acompanha o caso e aguardará a conclusão das investigações pelas autoridades, a quem compete a apuração dos fatos.

A Vale vem mantendo diálogo com a comunidade, que desde 2015 ocupa a Fazenda Lagoa, de propriedade da empresa. A área integra processo de reintegração de posse com decisão judicial favorável à Vale, determinando que os invasores deixem o imóvel. Com a nova ação realizada, o movimento descumpre também acordo firmado com a interveniência do INCRA, de não promover invasões.

Desde abril, a empresa se reúne com o grupo de invasores para alertá-los de que invasão de propriedade privada, bem como instalação clandestina de energia são crimes, além de apresentarem alto risco de saúde e segurança para os membros da comunidade, como choque de alta voltagem e risco de incêndio.

Já a empresa Prosegur ainda não se manifestou sobre o ocorrido.

O caso que já está sendo investigado pelo MP e polícia civil.

San Diego DRT/PA 3236

Comentários do Facebook