18 de junho de 2021

Crise brasileira de Covid-19 interrompe parcialmente oferta de minério de ferro


A pandemia de Covid-19 no Brasil interrompeu o suprimento global de minério de ferro no momento em que a demanda da China está aumentando. É também uma indicação de que a economia chinesa está ganhando força, após uma desaceleração no início do ano, quando partes do país entraram em isolamento para impedir a propagação do novo coronavírus.

As exportações de minério de ferro do Brasil caíram quase um quarto em maio por causa da crise de coronavírus no país, que é uma das piores do mundo, disse Serafino Capoferri, analista do banco de investimentos Macquarie.



O Brasil exportou 15,27 milhões de toneladas de minério de ferro nas três primeiras semanas de maio, disse ele. Isso representa uma queda de 19,4 milhões de toneladas no período comparável de 2019, quando as exportações já estavam abaixo do normal após o rompimento da barragem na mina da Vale em Brumadinho (MG).

O Brasil é o terceiro país com o maior número de casos, segundo a Universidade Johns Hopkins, com 271.885 registros de confirmação. “A situação no Brasil está praticamente fora de controle”, disse Capoferri. Ele disse que a pandemia causou dificuldades nas minas do país, que exigem mais mão-de-obra e que as pessoas trabalhem mais próximas do que as minas na Austrália.

A Mineradora Vale afirmou que o coronavírus reduzirá a quantidade de ferro que será capaz de produzir este ano. No fim de maio, a empresa disse que irá produzir entre 345 milhões e 370 milhões de toneladas de minério de ferro em pó e em pelotas em 2020, cerca de 40 milhões de toneladas a menos do que se esperava anteriormente. O Brasil como um todo extraiu 480 milhões de toneladas de minério de ferro em 2019, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, um quinto da produção global e perdendo apenas para a Austrália.

A demanda chinesa pode ser ainda maior se o governo chinês adotar medidas de impulso da economia que estavam sendo estudadas. Outro fator que tem aumentado a demanda por minério de ferro é a escassez de aço reciclado decorrente de interrupções na indústria de sucata, segundo Capoferri. Isso levou a dificuldades nos fornos elétricos a arco, que usam menos minério de ferro e mais sucata que os altos-fornos de aço tradicionais. *Com informações do Valor Econômico.

Comentários do Facebook