13 de junho de 2021

Campanha ganha força e pretende conseguir a reabertura de todos segmentos comerciais em Parauapebas


Após entidades de representação dos diversos segmentos comerciais e empresariais, ACIP – Associação Comercial e Empresarial de Parauapebas, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas, e SAHPAR– Sindicato das empresas de alimentação e hospitalidade de Parauapebas, apresentarem propostas para o retorno gradativo da Atividade Comercial na cidade visando à manutenção dos negócios empresariais, neste momento de recessão econômica decorrente da pandemia do coronavírus, retomaram também a campanha COMÉRCIO PREVENIDO, CORONA COMBATIDO.


De acordo com diretores das respectivas entidades, o objetivo da campanha é educar as empresas locais quanto as medidas determinadas de prevenção ao novo Coronavírus, para uma reabertura consciente dos comércios considerados não essenciais. “Não queremos abrir os comércios sem a garantia de que, desta vez, será para valer. Pois, imagine o dono de uma academia de ginástica que prepara o ambiente para ser reaberto com reformas e contratações e, poucos dias depois, vem a ordem para fechar!!! Ele se dispôs dos poucos recursos que tinha ou, quem sabe, tomou emprestado. Assim, só dificulta sua situação. Precisamos das garantias de que abriremos em definitivo”, explica Rodrigo João Zanrosso, presidente da ACIP, que convidou para a parceria todos os veículos de comunicação do município solicitando a veiculação de vídeo que será disponibilizado, neste será trazida orientação a respeito da importância da reabertura do comércio e conscientizando os comerciantes para os cumprimento das recomendações feitas pelas autoridades em saúde; os veículos de comunicação são importantes também para ceder espaços aos empresários e diretores das entidades representativas dos comerciantes par que estes levem orientações nos programas das respectivas emissoras e também em veículos digitais.




As entidades levam em consideração as ações em parceria com o governo municipal para combater e prevenir a população pandemia do coronavírus, como a criação de campanhas de educação e conscientização, a doação de máscaras e álcool em gel, tanto para profissionais de saúde quanto para população, material para sanitização de espaços públicos; além da ampliação do hospital municipal e do início de funcionamento do hospital de Campanha, que ampliou leitos para pacientes com sintomas da doença e disponibilidade de novos respiradores; a adoção de novos protocolos de atendimento, a conclusão do centro de testagem rápida e a aquisição de medicamentos.


E é com vistas nisto que as entidades propõem a reabertura dos segmentos que haviam sido fechados totalmente, com a retomada de todas as Atividades Comerciais, a partir de 25 deste mês, março, com horário reduzido de 09h às 17h, cumprindo a demarcação de distanciamento de acordo com as recomendações dos órgãos sanitários, bem como uso obrigatório de Equipamento de Proteção Individual por colaboradores e clientes e disponibilidade de álcool em gel.


A reabertura deve contemplar Salão de Beleza, Clinicas de Estética e Barbearias, com redução de 50% da capacidade e adotando as medidas de higienização; com horário reduzido das 11h às 21h, inclusive aos sábados. Além da abertura do setor de serviços: Restaurantes e Bares, com redução de 50% de ocupação, com distanciamento de mesas, a partir do dia 29, sexta-feira.

Outro segmento que deverá ser contemplado com a volta do funcionamento, também a partir desta data, são as academias e centro de treinamento físico, escolas técnicas e centros profissionalizantes cumprindo a demarcação de distanciamento de acordo com as recomendações dos órgãos sanitários, bem como uso obrigatório de Equipamento de Proteção Individual por colaboradores e clientes e disponibilidade de álcool em gel.
Já a reabertura dos Shoppings a proposta é que seja a partir de 8 de junho com horário reduzido de 11h às 21h. “Em contrapartida, as entidades empresariais continuarão comprometidas com ações de prevenção, mobilizando parceiros para compra de higienizadores para locais públicos e campanha de sensibilização para diminuir a circulação de veículos na área comercial”, planeja Rodrigo João Zanrosso, avaliando que os empresários não podem mais pagar essa conta e observa que o fechamento do comércio não é o propulsor do aumento de casos da doença no município, uma vez que a transmissão já foi, há muitos dias, considerada comunitária.
A campanha terá como estratégia levar informação com carros de som, distribuição da camiseta com o slogan da campanha, fixação de adesivos nas portas das lojas, panfletagem e pequenas carreatas compostas por comerciantes, sendo estas uma demonstração de ser o desejo deles a reabertura dos comércios.

*Da Redação

Comentários do Facebook