23 de junho de 2021

Bolsonaro anuncia que general vai liberar hoje o protocolo da cloroquina

O Ministério da Saúde divulgou na manhã desta quarta-feira, 20, o novo protocolo para o uso da cloroquina no tratamento de pacientes da Covid-19.

Atendendo à determinação do presidente Jair Bolsonaro, a pasta autoriza a utilização do medicamento também para alguns casos de pacientes com sintomas leves e moderados da doença, sempre a critério do médico e escolha do paciente.



Segundo o protocolo, a cloroquina “deve ser usada com precaução em portadores de doenças cardíacas, hepáticas ou renais, hematoporfiria e doenças mentais”.

Entre as contraindicações para o uso do medicamento, estão “gravidez, retinopatia/maculopatia secundária ao uso do fármaco já diagnosticada, hipersensibilidade ao fármaco e miastenia grave”.

O presidente vem defendendo o que pode ser prescrito para pacientes no estágio anterior da doença. “Dias difíceis. Lamentamos o que nos deixou. Hoje, mais um novo protocolo sobre a Cloroquina do Ministério da Saúde. Uma esperança, como relatado por muitos que usaram. Que Deus abençoa o nosso Brasil”, diz a mensagem de Bolsonaro.

Incerteza sobre eficiência

A cloroquina ganhou destaque como possível solução para o coronavírus após a publicação de um estudo na França, no começo de março. Mas pesquisadores criticaram a metodologia e também o grupo reduzido de pacientes que podem fazer uso sem riscos do medicamento.

Além disso, duas pesquisas internacionais posteriores, realizadas com mais de 1.300 pacientes mostraram que a cloroquina e a hidroxicloroquina não têm eficácia comprovada contra a covid-19, e que estudos devem continuar. Os ex-ministros da Saúde, Nelson Teich e Luiz Henrique Mandetta eram contra o uso da medicação, nas condições aprovadas hoje.

Comentários do Facebook