23 de junho de 2021

Vereador denuncia falta de prevenção para os trabalhadores da Vale

Parauapebas

Se a gente não tomar cuidado aquilo vai virar uma situação sem dimensão”, avaliação feita pelo vereador Joel do Sindicato, em relação aos trabalhadores do Projeto Salobo III, mina explorada pela mineradora Vale S/A, onde de acordo com o vereador há tempos vem conversando com os pares de parlamento para pressionarem para que a mineradora tome uma posição em relação àquela situação.


O vereador conta que motoristas de ônibus que transporta os empregados da Vale para a mina do Salobo relatam a ele que são muitos os que estão com sintoma de contaminação por Coronavírus, sendo que, o ônibus que o próprio denunciante na manhã de terça-feira, 14, continha 17 suspeitos com sintomas.

Veja no vídeo:


O vereador qualifica a situação como muito grave e diz que algumas pessoas entendem por exagero seu posicionamento de fechar o alojamento do Salobo. “Não estou para descer o pessoal e jogar na rua de qualquer jeito, mas, que voltem para suas casas e a empresa garanta os respectivos salários por 30 dias até que passe o pico da contaminação. Será que a gente vai ficar de braços cruzados e deixar acontecer o pior? ”, diz o parlamentar, lembrando que a mineradora tem auxiliado o município com estruturas e insumos de prevenção e combate a Covid–19, mas, ele avisa que ainda não tem nenhum leito pronto para receber os possíveis pacientes contaminados pelo vírus.


Joel Pedro diz que mesmo com toda a ajuda recebida da mineradora não significa que o poder público deve deixar a Vale fazer o que quer com os trabalhadores. Ele alerta que está acontecendo uma tragédia total na construção do Salobo III. E diz que em sua opinião não é prioridade nesse momento para o Município nem para a Vale construir alguma coisa, pois, a prioridade agora é cuidar de nossa gente. “Precisamos tomar uma iniciativa pra ontem, pois, não adianta esperar infectar todo aquele povo para, só depois, tomar alguma iniciativa. Assim, irá morrer muita gente, pois, não temos estrutura pronta para receber e a pandemia não espera”, resume Joel, alertando que Parauapebas seja uma cidade a típica onde a doença chegou mais rápido do que o previsto.

Em Nota a Vale tem direcionado todos os seus esforços para proteger a saúde e a segurança de nossos empregados e terceiros. Em nossos locais de trabalho e nas localidades onde estamos presentes, temos tomado todas as medidas necessárias para apoiar a prevenção, com foco na redução do efetivo administrativo e operacional, de forma a manter apenas os serviços essenciais. Além do trabalho remoto adotado desde o último dia 16 de março para empregados próprios e terceirizados cujas funções são elegíveis a home office, a empresa colocou em prática uma série de medidas para evitar aglomeração:

  • Trabalhadores dos grupos de risco (aqueles com 60 anos ou mais com algum problema de saúde pré-existente) foram orientados a ficar em casa;
  • A Vale conta com uso de câmeras térmicas que têm sido incorporadas às operações para identificar pessoas que estejam com alta temperatura corporal, um dos sintomas do novo corona vírus.
  • Nas portarias, há ainda restrição de acesso, mantendo a entrada apenas dos fornecedores considerados essenciais (alimentação, água, transportes, entre outros).
  • Triagem diária na chegada dos trabalhadores com aferição da temperatura corporal e aplicação do questionário de saúde;
  • Medida de higienização dos ambientes, áreas comuns, ônibus, vans e veículos leves utilizados pelos empregados;
  • Estabelecimento de rotina de inspeção de ambientes dos alojamentos, além da realização de campanhas educativas sobre a importância do distanciamento social;
  • Na hipótese de ser identificado algum sintoma gripal, o empregado recebe recomendação para ficar em casa por 14 dias. Entre as medidas de apoio estão o sistema de checklist online, para o acompanhamento diário do estado de saúde dos empregados, e um telefone 0800, que funciona 24 horas para atendimento, orientação médica inicial.

A Vale reitera que não medirá esforços para garantir a saúde e o bem-estar dos nossos empregados, próprios e terceiros, e das comunidades em que operamos. A companhia atua em conformidade com os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pelas autoridades e agências de cada um dos países onde está presente e segue monitorando o desenvolvimento da situação.


Outra alerta feita pelo vereador é em relação do grande número de pessoas nas filas de bancos e lotéricas motivo que o faz opinar que deva ser citado em Decreto a regulamentação daquela situação. Por: Francesco Costa

Comentários do Facebook