22 de junho de 2021

Sistema funerário do Pará já apresenta Colapso, admite Secretário de Saúde

Corpos de vítimas da covid-19 estão sendo armazenados em caminhão frigorífico do lado de fora do IML

O titular da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), Alberto Beltrame, admitiu o colapso na saúde e no sistema funerário nesta sexta-feira (24), após a divulgação do fato de que corpos de vítimas da covid-19 estão sendo armazenados em um caminhão frigorífico estacionado no fundo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) de Belém.



Ele falou sobre assunto em entrevista ao Jornal Liberal 2ª edição de sexta.“Queremos que a população consiga perceber que estamos em um grave problema de crise sanitária no Brasil inteiro e, em especial, em Belém. Não só o sistema de saúde tem problema e entrou em colapso.

O próprio sistema funerário tem causado alguns inconvenientes, seja na liberação de corpos em domicílio ou de corpos no IML ou da verificação de óbitos. Pedimos perdão por isso”, afirmou.O secretário de saúde do Pará disse que estão sendo tomadas providências para que cenas como a desta sexta-feira não se repitam.“Dizemos que o estado tomou providências para ampliar a quantidade de pessoas no IML e na Verificação de Óbitos.

Ampliamos a contratação de veículos para agilizar a retirada de pessoas falecidas dos domicílios e dar mais conforto ao paraense que passa pelo momento terrível de dor”, afirmou.

O fato ocorreu justamente no dia que o Pará registrou 86 óbitos e 1.551 casos confirmados. Além do problema no IML da capital, as unidades de saúde de Belém, tanto do governo como do município, estão recebendo muitos pacientes com sintomas da covid-19. A capital paraense lidera os registros de coronavírus, com 981 pessoas infectadas e 51 óbitos. Fonte: Orm

Comentários do Facebook