24 de junho de 2021

Parauapebas: Operação prende cinco acusados de estupro de vulnerável

A Polícia Civil de Parauapebas prendeu na quarta-feira, 1, cinco acusados de estupro de vulnerável e crime de pedofilia. As prisões foram resultado da primeira parte da operação Pandofilia.

A Operação Pandofilia foi deflagrada na manhã de ontem pela Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) de Parauapebas, e tem o objetivo de efetuar mais cinco prisões. Até o momento foram presos: Antônio Santiago, Railhony Soares, Francisco Alves Araújo, Ednaldo Pereira da Silva e Charles Dias Oliveira.

Todos os mandados foram expedidos pelas 1ª e 2ª Varas Criminais de Parauapebas por crimes previstos no Artigo 217-A do Código Penal Brasileiro, que trata de estupro de vulnerável.

“A maioria dos crimes foi praticada contra crianças, então caracteriza-se como pedofilia. Noventa por cento dos casos que chegam até a nossa delegacia ocorrem no ambiente familiar por parentes muito próximos, como pai, padrastos, avós, tios e irmãos”, explica a delegada Ana Carolina, responsável pela ação.

“Em um dos casos destacados por ela, uma criança foi abusada dos 9 aos 11 anos e sofria torturas dentro de casa. “A vítima era abusada sexualmente desde os nove anos de idade, hoje está com onze anos de idade e o exame psicológico deu positivo para conjunção carnal. Ela relata tudo com muito sofrimento, ela viveu durante mais de dois anos práticas de tortura, psicológicas e sexuais, dentro da própria casa”, diz.

Na casa de um dos acusados, a polícia encontrou uma espingarda e munições. Os acusados foram ouvidos e encaminhados para a cadeia pública de Parauapebas.

A ação que deve continuar nos próximos dias, foi batizada de Pandofilia justamente por envolver crimes ligados à pedofilia e ser desencadeada durante a pandemia de coronavírus.

Fonte: Correio de Carajás.

Comentários do Facebook
Share