21 de junho de 2021

Mãe usa Rede Sociais para denúncia agressão a criança de três anos em creche de Parauapebas

Uma mãe usou as redes sociais para denunciar que seu filho, uma criança de três anos de idade, havia sido agredido por outra criança em uma creche em Parauapebas.

Segundo o relato postado no Facebook, Mara Mafra foi informada na última quinta-feira, 20, por uma professora da Escola Municipal de Educação Infantil Vovó Ana, onde o filho estudava, que a criança havia se machucado e por isso seria levada para um hospital. “Ela me falou que o Miguel pediu para ir ao banheiro fazer xixi e como ele já sabe fazer todo o procedimento, ela deixou ele ir sozinho e quando ele voltou estava machucado”, contou.



Segundo Mara, o objetivo não é punir a outra criança, mas alertar para o que houve. Em entrevista ao portal Correio de Carajás, a mãe disse que o filho ainda relembra os momentos da agressão, mas que aos poucos apresenta melhora. “O fato é que meu filho estava na creche, onde tem professoras, auxiliares de sala, diretora, coordenadora, porteiro, merendeiras, serviços gerais, e ninguém viu, ninguém sabe como foi, quem foi. Meu filho de 3 anos e 6 meses, foi ao banheiro sozinho, e foi agredido por outra criança, que segundo ele era um menino grande e forte, maior que ele; o menino derrubou ele no chão, mordeu ele, tirou a sandália e bateu na cabeça dele”.

Em nota

Em relação à situação registrada na tarde de ontem, 20, na Escola Municipal de Educação Infantil Vovó Ana, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), vem a público esclarecer que:

  1. A educação infantil é um dos segmentos de ensino que possui alguns dos profissionais mais bem preparados da rede municipal, justamente por causa do público que carece de atenção e cuidados especiais e, inclusive, conta com o apoio de cuidadores;
  2. A situação é algo pontual, que já está sendo apurada. Será aberta sindicância para apurar as responsabilidades e tomar as medidas legais cabíveis;
  3. Vale destacar que a gestão da escola tomou todas as providências assim que foi informada da situação: levou o estudante ao hospital, acionou a família e ofereceu o suporte necessário;
  4. A Semed está oferecendo todo o suporte físico e psicossocial tanto para a família quanto para a Unidade Educacional. O Governo Municipal condena veementemente qualquer tipo de violência, seja física ou verbal, contra qualquer ser humano e preza pelo bem-estar dos seus estudantes e profissionais.

Comentários do Facebook


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *