14 de junho de 2021

Polícia Civil fortalece processo de investigação com criação de grupo de trabalho

Comissão Permanente é uma iniciativa inédita com o compromisso de solucionar de forma rápida as ocorrências registradas

Com o objetivo de dar celeridade às investigações realizadas pela Polícia Civil, o delegado-geral Alberto Teixeira criou, por meio de portaria a ser publicada na próxima sexta-feira (13), a Comissão Permanente de Análise dos Crimes de Homicídios. O grupo especializado vai analisar, monitorar e deliberar acerca das ações de casos de ocorridos em Belém e Região Metropolitana. A criação do grupo é uma iniciativa inédita e tem o compromisso de solucionar de forma rápida as ocorrências de homicídios registradas.



A equipe de trabalho contará com representantes da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM), Diretoria de Polícia Especializada (DPE), Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e Diretoria de Informática e Estatística (Dime), que trabalharão nas investigações até identificarem os autores dos crimes. A equipe atuará de forma definitiva.

“O principal objetivo dessa força-tarefa será investigar e dar resposta com celeridade. O governo do Estado, por meio da Polícia Civil, tem esse compromisso com a população. Além do trabalho técnico na resolução dos casos, também pretendemos fortalecer a sensação de paz e de segurança. A priori, vamos identificar os suspeitos pelos crimes que ainda estão sem autoria definida” – delegado geral da PC, Alberto Teixeira.

Os delegados reunidos nesta comissão irão analisar em conjunto as circunstâncias e principais linhas de investigação dos crimes e encaminhar para a delegacia responsável pela apuração que pode ser a Divisão de Homicídios, através de duas unidades, ou a Diretoria de Polícia Metropolitana. Os casos mais complexos, em que exista a possibilidade da atuação de organizações criminosas, serão encaminhados para a Divisão de Homicídios, que junto ao NIP, terá maior aporte de investigação.

Os casos menos complexos, os quais os autores dos crimes sejam identificados com mais facilidade, serão feitos pela Diretoria de Polícia Metropolitana, através das seccionais.

“Esta força-tarefa é apenas um adicional para complementar o trabalho de investigação da Polícia Civil. É mais uma ferramenta que possibilitará a otimização dos casos a serem apurados”, disse o delegado-geral.

Comentários do Facebook
Share


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *