21 de junho de 2021

Vídeo mostra perseguição de taxista da UBER, perseguido um táxi convencional de Parauapebas.


Briga de trânsito em saída do Partage Shopping acaba na delegacia. Segundo o motorista de táxi convencional Gêgê do Taxi, estava saindo do estabelecimento com sua esposa que está grávida do seu primeiro filho, e entra na rotatória na frente de um pálio cinza.


Após um grande buzinado estardalhaço que o motorista do pálio cinza fez, ouve uma discussão de trânsito onde levou troca de tapas entre os dois motoristas levando a perseguição cinematográfica.



Em vídeo retirado de câmeras de segurança, mostra o motorista do pálio cinza perseguindo em alta velocidade o motorista de  Taxi  Gêgê  que estava acompanhado de sua esposa como mencionada anteriormente, colocando sua vida, a do seu bebê e de outras pessoas que por lá trafegavam em risco.

Na versão do motorista de Uber, dois taxistas, perseguiram na noite de, domingo, (27), quando tinha acabado de sair com a namorada do show do cantor Wesley Safadão, que aconteceu no estacionamento do shopping. Os dois homens acreditavam que a vítima estava trabalhando como motorista de aplicativo e, após longa perseguição, conseguiram parar o veículo e o destruíram.

Segundo o pai do motorista, Lindembergue de Jesus Santos, os dois homens ainda ameaçaram o filho de morte. Na segunda-feira, 28, ele registrou Boletim de Ocorrência na 20ª Seccional e a polícia se comprometeu a solicitar as imagens das câmeras de segurança que ficam às proximidades do shopping, para tentar identificar os acusados.

Lindembergue, que é motorista de aplicativo, contou que, tinha  descoberto onde estava o carro usado pelos acusados e afirmou que o veículo está com um homem que mora no Bairro Vale da Serra. Essa pessoa, segundo ele, alegou que aluga o veículo para trabalhar e que, na noite de ontem, não trabalhou. “Eu falei para ele que não interessa quem seja o dono do táxi, quem estava dirigindo ele na noite de ontem vai pagar pelo prejuízo no carro do meu filho”, diz Lindembergue.

De acordo com o acusado que era outra pessoa, durante a manhã de ontem, foi surpreendido quando chegou um homem identificado como Lindembergue de Jesus Santos e fez acusações. “Eu estava tomando café quando ele desceu de um carro preto e perguntou de quem era o táxi. Fui lá, pensei que ele queria uma corrida e afirmei que era meu, porém, ele chegou fazendo acusações, dizendo que o táxi estava na confusão quando quebraram o carro dele que trabalha como Uber. Avisei a ele que não procedia à informação. Peguei esse carro do proprietário que foi para Redenção no domingo e o veículo ficou parado na minha casa e tenho como comprovar isso, até porque o carro é rastreado 24 horas e não trabalhei no domingo”, relatou o taxista.

O taxista José Roberto da Costa afirmou para nossa equipe que “Estava esperando ele fazer todas as acusações e depois que acalmar, irei entrar com uma ação contra ele na Justiça por calúnia e difamação. O motorista da Uber fez uma acusação e precisa provar se eu estava envolvido nessa confusão, até porque eu tenho certeza que o carro que eu trabalho estava parado. Não vou meter minha mão no fogo por ninguém, ele pode ter confundido o meu carro com outro táxi parecido e tenho certeza que não estou envolvido nessa situação. Sou pai de família, não desejo o que aconteceu com o carro da Uber para ninguém, porém, tenho certeza que eu não estou envolvido nessa confusão”.

Conforme Lindembergue, o filho, após o show terminar, saiu com a namorada e a deixou próximo à parada de van, ao lado do shopping, indo em seguida pegar o veículo que tinha sido estacionado longe dali, devido ao grande movimento. Quando ele parou o carro para ela embarcar, já foi abordado por dois homens, dizendo que ele era motorista de um aplicativo famoso.

“Ele disse que não era e que a moça era namorada dele. Mesmo assim, eles continuaram o agredindo com palavras. Com medo, meu filho acelerou o veículo e saiu e os dois homens entraram em um táxi e saíram atrás dele. No Bairro W Torres, após chegar em uma área erma, eles o fecharam. Ele parou o veículo e saiu correndo com a namorada dele. Nessa hora, os homens começaram a destruir o veículo e fazer ameaças de morte contra ele”, detalha.

Ainda segundo Lindembergue, a namorada do filho conseguiu ligar para o sogro e quando estava relatando os fatos, um dos homens tomou o celular da mão dela e o ameaçou também. “Ele disse ‘você também é. Vem aqui. Nós já quebramos um e vamos quebrar outro’. Eu disse que estava indo lá. Por sorte deles ou minha, quando cheguei eles já tinham ido embora”, conta.

Em manifestação os motoristas da uber, que não estão legalizados no município fizeram manifestações em frente à Câmara Municipal de Parauapebas pedindo mais segurança. — Questionados sobre o que o Governo Municipal poderia fazer para melhorar a segurança dos táxis uber, fomos surpreendidos com essas respostas: “Acreditamos que o Governo tem que colocar mais segurança nas ruas” disse um taxista uber.

Informamos que a segurança nas ruas de Parauapebas é ostensivo junto com a Polícia Militar e a Guarda Municipal, e questionamos o porquê que o próprio motorista do carro que se envolveu na briga de trânsito não estava na manifestação?

Lindembergue de Jesus Santos e nem seu  filho de 18 anos que estava dirigindo o carro do pai que é motorista UBER, e não quis vir para a manifestação – afirmou outro taxista uber.

Em nota, o presidente do sindicato dos taxistas Valmiro informou, ao Parazão Tem de Tudo, que não tem como julgar o taxista  Gêgê  por discussões de trânsito onde o mesmo não estava em trabalho. Segundo o presidente, ele responderá pelos seus atos como pessoa física onde o ocorrido foi uma briga de trânsito e não uma briga de classe de táxi – respondeu.

Assista aos vídeos.

Comentários do Facebook


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *