12 de junho de 2021

PARAUAPEBAS E A INSENSIBILIDADE CRESCENTE DE SUA POPULAÇÃO PRECISA DE AJUDA

PARAUAPEBAS

“Obrigado”, “por favor”, “por gentileza” parecem ser vocábulos que não fazem mais parte do nosso dia-a-dia nos grandes municípios do Parazão. A correria, o trânsito caótico, os transportes públicos sempre cheios de reclamações, a competitividade, vão tirando a sensibilidade, nos fazendo perder aquele olhar cordial. Tudo fica mais rude. Nos dia da Gentileza , vale refletir sobre como podemos ainda reverter esta situação.

Tenho pensado muito sobre isso já que trabalho, essencialmente, com comunicação . Fico atento aos comportamentos e procuro praticar a gentileza, mas também sou uma pessoa urbana. Imaginem que ao entrar em um táxi na Cidade nova, obviamente falando ao celular, deparei-me com um senhor simpático, mas pouca atenção dei a ele, dizendo apenas onde seria o meu destino. Continuei minha conversa de negócios. Sempre me julguei de natureza gentil e ao terminar a conversa pedi desculpas ao taxista pelo meu modo como entrei em seu veículo. “Sabe que pelo menos você me pediu desculpas, mas a maioria nem me olha. O parauapebense se tornou muito ‘egocentrado’, sem olhar para o outro.”



Os atos de gentileza não são meros comportamentos obrigatórios no relacionamento interpessoal. Eles têm uma função comunicativa de demonstração de respeito com o outro e ajudam a estabelecer uma conexão verdadeira. Segundo o livro do professor italiano Forni, da Universidade John Hopkins, nos EUA, que avaliou a importância da civilidade, das boas maneiras e da educação na sociedade contemporânea, a cordialidade gera um bem-estar individual, reduz a ansiedade e o estresse nos relacionamentos, aumenta a produtividade nos ambientes corporativos, além de uma vantagem social: nos tornar mais atraentes (Forni, P.M, 2011)

A expressão de gentileza pode se dar por meio dos seus gestos, de um olhar positivo, um sorriso sincero ou um levantar-se para ceder lugar. O tom melodioso da nossa voz também pode expressar nossa consideração ou não pelo outro: o falar forte é invasivo, agride e afasta; a voz entoada aproxima e expressa acolhimento. A neurociência reforça que as palavras também têm grande poder: desejar um “bom dia” verdadeiro, e não aquele de canto de lábio, no corredor da sua kit net, pode aproximar um bom vizinho.

Vale lembrar que tudo isso é ainda mais necessário nas nossas relações profissionais. Ministrando treinamentos de Comunicação Assertiva ou Humanização da Comunicação ouço pessoas dizerem: “Mas isso que você nos ensina é para todos? Por que muitas vezes nem bom dia recebemos de nossos líderes” Então, líderes? As metas, as reuniões, os projetos não podem nos afastar de nossas equipes a ponto de esquecermos de olhar nos olhos destas pessoas, desejar-lhes um bom trabalho, questionar com interesse genuíno se estão bem ou até mesmo prestar um favor. A comunicação gentil é feita de pequenos atos de doação, de uma pequena parte de sua atenção, para um grande efeito na vida de alguém. Mas numa cidade agitada, deixamos esses detalhes de lado. Então, que o Dia da Gentileza em Parauapebas floresça essa reflexão. Excelente Dia da Gentileza para todos.

Em parauapebas o tradicional dia da gentileza marca encerramento de mais uma campanha no município. Mas, ações permanecem nos dia a dia, vamos lê o texto da jornalística Anne Costa

Palestras, dinâmicas, fiscalizações e demais ações educativas marcaram a programação da Semana Nacional de Trânsito em Parauapebas, que abordou o tema “Nós Somos o trânsito, faça parte desta inclusão”. Durante dez dias, o trabalho envolveu empresas, ONGs, instituições de ensino e comunidade em geral.

Os resultados? Os mais positivos, na avaliação de Milton Lima, coordenador do Núcleo de Educação para o Trânsito (NET) do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT). “Foi um trabalho bastante intenso, que contou com participação de crianças, jovens e todos que atuam de alguma forma no trânsito. Reforçamos muito a questão de respeitar a passagem de pedestres nas faixas, utilizar os equipamentos de segurança, enfim. O mais importante é que as pessoas de fato mudem o comportamento e que nosso trânsito se torne mais seguro”, destacou ele.

O encerramento da programação oficial foi na última sexta-feira, 28, com a realização do já tradicional Dia da Gentileza no Trânsito, quando flores e o belo som do saxofonista Renato Martins, da Guarda Municipal, despertavam atenção de quem passava pela rua E, no bairro Cidade Nova. Agentes do NET entregaram panfletos e rosas aos condutores como forma de incentivar a serem mais gentis no trânsito.

A dona de casa Alida de Souza estava entre as pessoas que recebeu uma rosa. E aprovou a ação do DMTT. “Eu faço de tudo para andar direitinho. As pessoas têm que ser responsáveis nesse sentido. E esse trabalho é muito importante para as pessoas se conscientizarem”, avaliou ela.

Quem trabalha pelas ruas acompanha no dia a dia os problemas e as dificuldades no trânsito. É o caso do taxista Francisco Hilderlan, que concorda: é preciso mais educação ao volante. “Precisa de muito mais gentileza, de compreensão e paciência, né?! Mas, o DMTT está fazendo um bom trabalho”, concluiu o taxista.

REDUÇÃO DE ACIDENTES

O trabalho de fiscalização, investimento em ações de engenharia de tráfego e as campanhas educativas do DMTT vêm provocando resultados bastante positivos em Parauapebas. De janeiro a agosto deste ano, o departamento registrou uma redução de 22,60% no número de acidentes na cidade em relação ao mesmo período do ano passado.

Mas apesar de todo o trabalho junto à comunidade, a imprudência ainda é a principal causa de acidentes. Entre as mais comuns está a ausência do uso de capacete tanto do piloto quanto do passageiro, mais de um passageiro na motocicleta e a falta do uso do cinto de segurança.

Se tem infração, tem multa, mas não é isso o que deseja o DMTT, que coloca a preservação da vida humana acima de tudo. “A programação oficial da Semana Nacional de Trânsito terminou, mas o nosso trabalho é constante. Nós continuaremos as ações em prol de um trânsito mais seguro, buscando despertar maior conscientização da comunidade reduzindo consequentemente ainda mais os índices de acidentes”, disse Milton Lima.

Comentários do Facebook


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *