20 de junho de 2021

REMO BUSCA SUPERAR PÉSSIMO MOMENTO DENTRO E FORA DO CAMPO

REMO

A vida do Clube do Remo na Série C do Campeonato Brasileiro vai ficando cada vez mais difícil. Escapar do rebaixamento à última divisão do futebol nacional ganhou um tom de “missão quase impossível”, já que restam apenas quatro jogos até o final da fase de classificação da Terceirona e os azulinos estão nada menos que quatro pontos atrás do primeiro time fora da zona de rebaixamento.

A situação se torna mais grave ainda se levarmos em consideração o clima nos bastidores do clube, que demitiu três funcionários na última segunda-feira (16) após os mesmos supostamente terem se manifestado insatisfeitos com o fato de estarem com seus salários atrasados. Aliás, parte do quadro de colaboradores do time azul marinho teriam entrado em greve nos últimos dias.



Dentro das quatro linhas, o Leão Azul encara o Confiança-SE, fora de casa, no próximo domingo (22), pela 15ª rodada do grupo a. Nesse confronto, uma derrota pode praticamente selar a queda remista para a quarta divisão – dependendo dos outros resultados da rodada. Para o goleiro Vinícius, um dos jogadores mais repeitados pelos torcedores, “enquanto houver vida, deve haver esperança”.

– Precisamos sair dessa situação o mais rápido possível. O único pensamento aqui é o de permanência na Série C. Sabemos que será difícil fugir do rebaixamento mas, enquanto houver essa possibilidade, estaremos lutando com todas as nossas forças – prometeu o camisa um do Leão.

Caso vença seus próximos três jogos, o último deles, contra o Náutico-PE, pode ganhar a conotação de uma final de campeonato. – Ainda restam quatro jogos e, enquanto dependermos de nós mesmos, a luta vai continuar. Esperamos que, no último jogo, contra o Náutico, possa ser uma decisão e o nosso torcedor esteja ao nosso lado apoiando do início ao fim. Mas antes de enfrentá-los, precisamos vencer os próximos três jogos que teremos pela frente – finalizou.

Nesta terça-feira (17), o Remo treina somente em um período – no campo do Âncora, às 16h.

Comentários do Facebook