24 de junho de 2021

HOSPITAL GERAL DE PARAUAPEBAS (HGP) ÀS ESCURAS

PARAUAPEBAS

Por volta das 11h da manhã até às 19:45 dessa segunda-feira (30), o Hospital Geral de Parauapebas Emanoel Alvos Benevides Alves (HGP) esteve sem energia elétrica devido a problemas técnicos ainda não confirmados pela equipe do hospital. Pacientes tiveram que ser removidos do prédio e remanejados para outras áreas para serem atendidos, gerando desconforto e estresse por parte de parentes de hospitalizados.

Informações não oficiais dão conta de que ocorreu um problema na subestação de energia do hospital que seria de responsabilidade técnica da empresa Celpa. A mesma teria sido acionada assim que o gerador do hospital não conseguiu funcionar devido a pane na subestação. A equipe técnica da empresa concessionária de energia chegou ao local para realizar os reparos, conseguindo restabelecer a energia por volta das 19:45. Nossa equipe de reportagem tentou contato com a empresa concessionária, mas não tivemos êxito.

A secretária adjunta de saúde, Terezinha Guimarães, juntamente com o diretor do hospital, Israel Corrêa Pereira informaram que ainda não tinham as informações do corpo técnico que detalham as motivações da interrupção. Israel explicou como ocorreu o trabalho de ação da equipe para poder remanejar os hospitalizados. “Os pacientes mais críticos que tínhamos maior preocupação, que eram os pacientes que estavam nas UTI’s e UCI’s, esses foram transferidos para o antigo prédio. Lá, adaptamos as salas com todos os equipamentos, respiradores, ventiladores… Toda a parte de oxigênio, gás comprimido. Tudo que era necessário para manter os pacientes estabilizados.”, concluiu Israel.

Antônio, cunhado de uma das pacientes que passou por trabalho de parto cesariana no hospital, demonstrou muita revolta com o ocorrido ao ser entrevistado pela equipe de reportagem do Parazão Tem de Tudo. “Eu tive que sair do serviço para vir aqui trazer uma lanterna. Isso é uma vergonha para uma mulher que está aqui operada no hospital que não tem nem luz nos quartos.”, concluiu.

No momento em que uma das pacientes estava sendo remanejada para outra localidade, um maqueiro do hospital, identificado apenas como Wellington, agiu com hostilidade contra o jornalista Francesco Costa, chegando a ameaça-lo de quebrar seu equipamento de trabalho. Wellingon tentou impedir o jornalista de capturar a cena, em fotografias, do remanejamento da paciente, alegando que não queria que sua imagem fosse registrada. (Saiba mais sobre esse caso aqui)

Por Júnior Oliveira, Parazão Tem de Tudo, Parauapebas
Revisão: Diego Santana

Comentários do Facebook