13 de junho de 2021

PF investiga esquema de uso de documentos falsos em regularização fundiária

A Polícia Federal cumpre mandados judiciais numa operação que investiga o uso de documentos falsos para regularização fundiária, no Pará. Ao todo, estão sendo cumpridos quatro mandados de prisão temporária, oito mandados de busca e apreensão e ainda quatro mandados de apresentação de documentos. A Operação Apáte foi deflagrada nos municípios de Belém e na região nordeste do Estado, em Acará, Tailândia e Moju.

As investigações da PF apontam que representantes de um grupo empresarial sediado em Belém se utilizava de cartório fictício, supostamente localizado em Acará, para forjar certidões de matrículas de fazendas de propriedade de terceiros. Os documentos deslocavam e colocavam as certidões em nome da empresa.



A partir daí os representantes da empresa passaram a utilizar as falsificações junto a órgãos públicos, como os Institutos Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de Terras do Pará (Iterpa), com o fim de regularizar as terras. Os presos serão encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

A operação, batizada de Apáte, espírito que, segundo a mitologia grega saiu da Caixa de Pandora e personifica o engano e a fraude, decorreu de investigação conduzida pela Polícia Federal em Belém desde o ano de 2016.

Comentários do Facebook
Share