24 de novembro de 2020

Parauapebas estrear na Segundinha diante do Gavião Kyikatejê no sábado, (07) pela manhã

A equipe do Parauapebas Futebol Clube intensificou os trabalhos da semana visando a estreia no Campeonato Paraense da 2ª divisão, a chamada Segundinha do Parazão. Na nova tabela divulgada no site oficial da Federação Paraense de Futebol, o PFC estreia diante do Gavião Kyikatejê, no próximo sábado (07), às 9h30, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas.

O técnico Wilson Itupiranga vem treinando sua equipe no Complexo Esportivo, do bairro Rio Verde, e no próprio Rosenão, palco dos jogos do PFC dentro casa. O Gigante de Aço realizou três amistosos antes da estreia no estadual, atuando contra seleções amadoras de alguns municípios. No primeiro, empate sem gols diante de Canaã dos Carajás, jogando no Estádio Benezão, em Canaã. Após o placar em branco, o PFC conseguiu resultados expressivos diante da Seleção de Parauapebas, vencendo por 4 a 0, no Rosenão, e contra a Seleção de Curionópolis, goleando por 6 a 0, no Estádio Municipal Wilson de Souza, em Curionópolis.

A base que deve entrar jogando diante do Gavião Kyikatejê, time da cidade de Bom Jesus do Tocantins, sudeste do Pará, é o mesmo que foi bem, principalmente nos dois últimos amistosos. O time que atuou nos amistoso formou com: Pezão; Riquelme, João Paulo, Pablo e Talisson Cristiano; Kauwê, Natan e Tayron; Tiago Mandi, Danúbio e Vinícius. A diretoria do PFC contratou o experiente volante Mael, de 35 anos, que já teve passagens por Tuna, Paysandu e Remo. O jogador deve ser titular no meio-campo do Gigante de Aço durante a competição.

Fundado em 2009, o Parauapebas tem dois títulos a nível estadual. O primeiro deles foi a própria Segundinha do Parazão, quando bateu o Abaeté com duas vitórias na final (2 a 0 em casa e 1 a 0 fora de casa), em 2010. Já o segundo título foi o da Taça Aclep, equivalente a primeira fase do Campeonato Paraense, quando derrotou o Tapajós, nos pênaltis, no Estádio Rosenão, na temporada de 2014. O PFC está no Grupo A1 da Segundinha do Parazão, ao lado de Atlético Paraense, Cametá, Gavião Kyikatejê e Izabelense.

O governo anunciou que não vai bancar nenhuma cota e cortou o patrocínio, ou seja, os 20 clubes participantes da Segundinha do Parazão vão ter que arcar com as suas despesas. Os representantes dos clubes aguardavam o patrocínio do Banpará para o estadual, mas o vice-presidente da FPF, Maurício Bororó, afirmou que o banco já patrocinou 10 milhões e a Funtelpa 4 milhões para o futebol paraense nesta temporada e que não tem mais orçamento para o estadual da segunda divisão.

“Essa contrapartida do governo era primordial para os clubes, estávamos confiantes que iria dá essa força, pois assim diminuiria consideravelmente nossas despesas, mas agora que já estamos dentro, não iremos voltar atrás. Dentre os três clubes aqui da região, o PFC foi o mais prejudicado no sorteio, pois iremos fazer dois jogos fora, onde os custos são altíssimos, sem contar com a dificuldade do jogo, pois são dois clubes de tradição na Segundinha, Cametá e Izabelense. Mas não iremos medir esforços para dar a estrutura necessária aos atletas e a comissão técnica. Buscaremos como sempre fizemos parceiros e amigos para nos ajudar nessa empreitada”, disse Pedro Neto, presidente do Parauapebas.

Fonte: Zé Dudu

Comentários do Facebook