24 de novembro de 2020

Diretório de PP em Parauapebas é alvo da Polícia Federal

A Polícia Federal deu cumprimento a mandado de busca e apreensão, expedido pelo juízo eleitora de Parauapebas, na sede do Partido Progressista (PP). A operação “Boitatá II” apreendeu R$ 2,5 mil em dinheiro documentos que suspeita compra de votos e transporte ilegal de eleitores, além de celulares e mídias. Nove agentes participaram da ação.

Os crimes investigados são corrupção eleitoral (art. 299 do Código Eleitoral) e transporte irregular de eleitores (art. 11, III da Lei 6.091/74), que somados podem resultar em condenação máxima de 10 anos de reclusão. Ninguém foi preso nesta operação.

Além do cumprimento da busca, também foram realizadas oitivas de testemunhas e suspeitos. As investigações irão continuar até a elucidação completa da hipótese criminal, com a identificação dos participantes dos crimes dos quais o partido é suspeitos.

O presidente do Partido Progressistas em Parauapebas, Keniston Braga, gravou um vídeo e falou sobre o ato, inclusive sobre uma Fake News da sua suposta prisão que chegou a ser divulgada através de grupos de WhatsApp. “ Um processo considerado normal. A Polícia Federal recebeu uma denúncia e foi à sede do partido para fazer uma busca. A denúncia dizia que lá existiam valores que supostamente estaríamos usando para a compra de votos. A polícia fez o seu papel, muito nos honra que a PF esteja atenta a tudo isso, demos todo o suporte para que eles desenvolvessem os trabalhos, finalizou a busca e vamos esperar os desdobramentos disso, porque não foi encontrado essa tal soma dita na denúncia e vejo isso como tentativa de desviar o foco dos acontecimentos nesta reta final das eleições”, disse Keniston, que afirmou que está tranquilo e que não foi preso.

Veja aqui o vídeo:

*Da Redação Portal Parazão Tem de Tudo, com informações da Polícia Federal

Comentários do Facebook