24 de novembro de 2020

Cuidar dá saúde é coisa de homem, prevenção é a melhor forma de evitar o câncer de próstata.

Entre os exames para detectar o câncer de próstata, há o de toque retal, que ainda é alvo de preconceito entre os homens. No entanto, Carlos informa que atualmente o preconceito é menor. Doutor Carlos Eduardo Bonafé Oliveira, médico urologista do Sistema Hapvida, com título pela Sociedade Brasileira de Urologia, explica que o diagnóstico tardio da doença pode torná-la fatal. “Na análise física, é realizado o exame digital da próstata, conhecido como toque retal. Nele, o urologista observa o tamanho da próstata, a consistência e se há nódulos na próstata, o que é sugestivo de câncer. Com informação, divulgação da doença e conhecimento da mesma, o preconceito com esse tipo de exame está sendo reduzido. A maioria dos pacientes permite a realização, mas devemos buscar, informar e orientar também aqueles que nem vão ao consultório por medo e falta de informação. É um exame muito simples, rápido e que salva muitas vidas”, salientou. Quando descoberto na fase inicial, a chance de cura do câncer de próstata é de pelo menos 90%, como explica o médico. “Próstata é uma glândula localizada logo abaixo da bexiga.

Sua função é a produção de parte do esperma, que é o líquido que mantém os espermatozóides vivos após a ejaculação para realizarem a fecundação do óvulo. O câncer de próstata é uma doença na qual há uma proliferação atípica das células da próstata, levando à formação de células malignas que se multiplicam de maneira muito rápida. Quando não descobertas em fase inicial, podem se espalhar pelo corpo, ou seja, causar metástases e levar a óbito. É o segundo câncer mais comum nos homens. Quando descoberto em fase inicial e tratado de maneira adequada, a taxa de cura é maior que 90%. Porém, 25% dos pacientes com câncer de próstata morrem devido às complicações da doença, principalmente pela falta de informação e devido ao diagnóstico tardio, em fase mais avançada da doença”. Quando descoberto em fase inicial e tratado de maneira adequada, a taxa de cura é maior que 90%.

Comentários do Facebook
Share